Publicidade

Correio Braziliense

Novacap remove a parte do viaduto que desabou na Galeria dos Estados

Depois de triturada, a estrutura será usada para confeccionar meios-fios


postado em 24/02/2018 21:23 / atualizado em 24/02/2018 22:18

Cerca de 50 funcionários foram destacados para o trabalho de remoção(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Cerca de 50 funcionários foram destacados para o trabalho de remoção (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

 
Técnicos da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) começaram a remover, no fim da tarde deste sábado (24/2), a parte do viaduto que desabou sobre a Galeria dos Estados em 6 de fevereiro. Por volta das 17h30, os funcionários fizeram a escoriação da placa para dar início aos trabalhos, que começou pela parte externa. A estimativa, segundo a companhia, era que a remoção fosse finalizada até as 23h. 

Ao todo, cerca de 50 servidores foram destacados para o trabalho, que contou com o auxílio de dois marteletes hidráulicos e cinco caminhões para transportar os destroços. Um dos instrumentos tritura a via, enquanto o outro remove os pedaços e os coloca nas caçambas dos caminhões. Além da retirada da placa, dois dos três carros ilhados foram retirados. Foi previsto, ainda, o corte dos cabos que sustentavam a parte do viaduto que ruiu. 

Segundo o diretor da Novacap, Júlio Menegotto, o material removido será reaproveitado para a construção de meios-fios e de tampas de boca de lobo. “Tudo está sendo levado para a Novacap. Nosso intuito, hoje, é fazer a limpeza da área”, explicou. Questionado sobre os riscos de novas quedas no local, o diretor acrescentou que são remotos. “Isso graças às estruturas de sustentação. Somente essa parte que cedeu estava precária. Mas ainda serão feitos estudos para futuras obras”, completou Menegotto. 
 
Lindemberg é dono de um dos carros atingidos pelo viaduto(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Lindemberg é dono de um dos carros atingidos pelo viaduto (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
 

Em busca do documento do carro 


Desde a queda do viaduto,  há três semanas, o bancário Lindemberg Igor da Silva, 50 anos, dono de uma Hilux que ficou presa sob os escombros, busca por respostas. O morador de Taguatinga, que trabalha no Setor Bancário Sul e costumava estacionar seu carro no local, foi até o local assim que ficou sabendo da remoção, na esperança de resgatar os documentos que estão no veículo destruído. O seu carro ainda não havia sido retirado até a última atualização desta matéria.

“É o que preciso para provar que o carro é meu. Havia quatro anos que estacionava meu carro ali”, desabafou Lindemberg. A seguradora do motorista garantiu que cobre os prejuízos, de quase R$ 110 mil. “Vamos ver. O GDF disse que vai reembolsar. Apesar de ter seguro, também conto com o governo”, acrescentou o bancário. Uma nova reunião do GDF com os donos dos carros atingidos acontecerá na próxima sexta-feira (2/3), com participação da Procuradoria Geral do governo.
 

Galeria dos Estados

 
Em paralelo aos trabalhos de remoção da placa que desabou, a Novacap faz intervenções na Galeria dos Estados neste fim de semana, exatamente no Eixo L. De acordo com a companhia, o objetivo encontrar áreas que necessitem de reparos e obras mais complexas. 

Uma delas é o escoramento da estrutura, além do reforços em locais de possíveis riscos. As ações devem se estender pela próxima semana. Apesar disso, a Novacap garantiu que não será necessário impedimento de passagem para pedestres.

 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade