Publicidade

Correio Braziliense

Metrô retoma operação normalmente, e volta para casa está garantida

Cabe à Polícia Civil esclarecer por que os cabos entre as estações Arniqueiras e Guará amanheceram cortados nesta segunda-feira


postado em 09/04/2018 13:42 / atualizado em 09/04/2018 14:10

(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

Após ter o fluxo interrompido em uma parte crucial de sus linhas (entre as estações Arniqueiras e Guará), o que gerou transtorno aos usuários e provocou problemas no trânsito do Distrito Federal, o metrô voltou a funcionar normalmente no início da tarde desta segunda-feira (9/4), o que tornará mais tranquila a volta para a casa no fim da tarde.
 
Mesmo com a normalização do serviço, o Departamento de Estradas e Rodagens (DER) e o Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) manterão as faixas exclusivas abertas para carros de passeio até as 23h59 de hoje. 
 
O problema no metrô foi identificado de madrugada, por volta das 4h40, quando o alarme do Centro de Controle Operacional (CCO) disparou, indicando que os cabos de fibra óptica entre as duas estações tinham sido cortados. Agentes da companhia foram acionados para realizar o serviço de troca dos fios, mas o atendimento acabou prejudicado no período da manhã. 
 
A assessoria da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF) chegou a afirmar, pelo Twitter, que o problema havia sido causado por uma tentativa de furto dos cabos. Depois, no entanto, disse que a explicação do episódio caberá à Polícia Civil. "O valor de mercado das fibras ópticas é abaixo do de cobre. Mas é prematuro afirmarmos a motivação do crime. Só a Polícia Civil poderá esclarecer o que aconteceu", reforçou o chefe do Departamento de Operações do Metrô, Victor Mafra.
 
Uma outra hipótese para o crime, a ser verificado pelos agentes responsáveis pelo caso, seria sabotagem. De acordo com um funcionário do Metrô que pediu para não ser identificado, quem cortou os cabos não os retirou do local. Isso, no entanto, não afasta a possibilidade de tentativa de furto, uma vez que as peças estão amarradas e os autores do crime podem ter tido dificuldade de removê-las.
 
Transtorno  

Por conta do corte nos cabos, que têm o objetivo de estabelecer a comunicação entre os pilotos e a CCO, somente as linhas de Ceilândia e Samambaia funcionavam de manhã. No sentido central, os trens chegavam apenas até a Estação Águas Claras. 
 
A falta do metrô causou transtornos aos usuários, que tiveram de tirar os carros da garagem, como foi o caso do bancário Antônio Matos, 39 anos, que trabalha no Setor Bancário Sul. "Vou ter que ir de carro para o meu trabalho, sendo que já vou chegar atrasado. Infelizmente, aqui em Águas Claras é difícil encontrarmos ônibus para o Plano Piloto, o que dificulta muito a locomoção", aponta. 

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) informou que, mesmo com a reestabilização do metrô da linha sentido Estação Central, as faixas exclusivas do Setor Policial Sul, W3 Sul e Norte estão liberadas até 23h59.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade