Publicidade

Correio Braziliense

Descoberto supera 80% do volume pela primeira vez desde 2016

Antes do começo da crise hídrica, o reservatório costumava marcar 100% em abril


postado em 09/04/2018 17:59 / atualizado em 09/04/2018 17:59

Em medição nesta segunda-feira (9/4), o principal reservatório do Distrito Federal chegou a 80,6% do volume total (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Em medição nesta segunda-feira (9/4), o principal reservatório do Distrito Federal chegou a 80,6% do volume total (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
O reservatório do Descoberto superou 80% do volume total. É a primeira vez que a corpo d’água supera a marca desde junho de 2016, antes do começo da crise hídrica. Em novembro de 2017, o reservatório chegou a 5,3% da capacidade, o menor nível da história, e, desde dezembro, vem apresentando subidas consideráveis, acima até das melhores expectativas do governo. Mesmo assim, ainda não há prazo para o fim do racionamento. 

Em medição na manhã desta segunda-feira (9/4), o Descoberto chegou a 80,6%, subindo 1,8 ponto percentual. A curva de acompanhamento da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) esperava que o Descoberto marcasse 70% ao fim de abril, o que seria o maior número para o reservatório em 2018. A expectativa do órgão é que, a partir de maio, com a diminuição das chuvas, o reservatório comece a baixar novamente. 

A avaliação é feita com base nos níveis do reservatório, cuja alteração se dá em razão da situação climática, das entradas de água trazidas pelos afluentes e das saídas, oriundas do consumo pela população, do consumo dos agricultores e da evaporação.
 
Antes da crise hídrica, o reservatório chegava a 100% no mês de abril (foto: livegap.com )
Antes da crise hídrica, o reservatório chegava a 100% no mês de abril (foto: livegap.com )
 

A última vez que o Descoberto ficou acima dos 80% havia sido em 23 de junho de 2016. Neste ano, ao fim da época de seca, o reservatório ficava abaixo dos 20%, dando início ao alerta que gerou o anúncio do esquema de água, que teve início em janeiro de 2017. 

Racionamento 


O Governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, afirmou três vezes que o rodízio de abastecimento terá um fim ainda em 2018. A última vez foi durante debate sobre as crises hídricas brasileiras no 8º Fórum Mundial da Água, onde declarou que o anúncio de uma data para o fim do regime de racionamento deve ocorrer em maio. O chefe do Buriti lembrou que em 2017 o Descoberto mostrou elevação no índice até 15 de maio. 

“Se a gente tiver no mesmo ritmo neste ano, ainda vamos crescer muito. Isso nos permite dizer, de forma absolutamente técnica, que, quando chegar ao fim do período chuvoso, em meados de maio, e tivermos a estabilização do volume das águas do Descoberto e de Santa Maria, além de uma previsão mais próxima da entrega da estação de tratamento de Corumbá IV, vamos poder vislumbrar com segurança uma data para a saída do racionamento”, declarou.

Chuva 


Uma das condicionantes para o fim do racionamento é o impacto das chuvas que caem sobre DF. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), pelo menos nesta semana as precipitações continuarão constantes, mesmo com maior abertura de sol. A expectativa é de que, após a segunda quinzena de abril, as chuvas comecem a diminuir.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade