Publicidade

Correio Braziliense

Estudante de colégio em Águas Claras é diagnosticado com H1N1

A menina de dois anos começou a sentir os sintomas no sábado (14/4) e os pais procuraram a instituição de ensino na quinta-feira (19/4). Esse é o segundo caso em uma semana no DF


postado em 20/04/2018 12:27 / atualizado em 20/04/2018 20:18

Campanha de vacinação começa oficialmente na segunda-feira(foto: Reuters/Nicky Loh - 01/10/2010)
Campanha de vacinação começa oficialmente na segunda-feira (foto: Reuters/Nicky Loh - 01/10/2010)
Uma menina de dois anos foi diagnosticada com a gripe do tipo H1N1. Os sintomas começaram a aparecer no sábado (14/4) e, desde então, o colégio onde ela estuda, o Maple Bear, de Águas Claras, intensificou os cuidados com a higiene. A criança se recupera em casa. Esse é o segundo caso em uma semana. Antes deste episódio, um estudante do Colégio Presbiteriano Mackenzie, no Lago Sul, foi diagnosticado com o vírus Influenza A. Após os casos, os dois colégios anteciparam a imunização do público interno. 

 

No caso mais recente, de Águas Claras, a escola informou que os pais da criança procuraram o colégio na quinta-feira (19/3). A menina não vai à escola desde segunda-feira (16/4) e, de acordo com a instituição de ensino, "até o momento, não há conhecimento de outros casos da doença no colégio". O estabelecimento diz ter tomado as providências para evitar novos casos de contaminação dentro das unidades.
 
O último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Distrito Federal revela que até o início de abril foram confirmados cinco casos da doença: uma pessoa morreu. A Campanha de Vacinação começa oficialmente no Distrito Federal na segunda-feira (23/4) e dura até 1º de junho com a expectativa de imunizar 706.988 pessoas. A dose é a tetravalente, ou seja, protege contra os vírus H1N1, H3N2 e dois tipos de influenza B .
 
A vacina é exclusiva para trabalhadores da área de saúde, idosos acima de 60 anos, crianças entre 6 meses e 5 anos, além de gestantes, mulheres que deram a luz até 45 dias, indígenas, pacientes de doenças crônicas, adolescentes e jovens do sistema  socioeducativo, presos e funcionários do sistema penitenciário. Também são incluídos no grupo de vacinação professores de escolas públicas e privadas. 

Em Goiás 

No estado de Goiás, em razão da quantidade de pessoas infectadas com o vírus, o Ministério da Saúde antecipou a Campanha de Vacinação. A ação começou em 13 de abril e também dura até o início de junho. Só nos primeiros cinco dias, mais de 138 mil pessoas se vacinaram. No estado, até 9 de abril, a Secretaria de Saúde de Goiás confirmou 92 casos de H1N1. Dezessete pacientes morreram. Goiânia, Anápolis, Rio Verde, Caldas Novas e Luziânia são algumas das cidades que registraram notificações da doença. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade