Publicidade

Correio Braziliense

Polícia apreende adolescentes suspeitos de assassinar Maria Eduarda

O crime aconteceu em 21 de maio. A criança de 5 anos e um irmão dela foram atingidos, dentro de casa, pelos disparos


postado em 29/05/2018 07:52 / atualizado em 29/05/2018 12:12

Maria Eduarda foi assassinada com um tiro na cabeça(foto: Arquivo Pessoal)
Maria Eduarda foi assassinada com um tiro na cabeça (foto: Arquivo Pessoal)
 
Agentes da 24ª Delegacia de Polícia (Setor O, em Ceilândia) apreenderam três adolescentes suspeitos de assassinar Maria Eduarda Rodrigues de Amorim, 5 anos, em Ceilândia. A criança foi morta com um tiro na cabeça e o irmão dela de 19 anos também foi atingido. O crime aconteceu em 21 de maio deste ano. O criminosos dispararam contra as vítimas, que estavam dentro de casa.
 
Os policiais ainda procuram Walisson Ferrerira da Silva, 21 anos, outro suspeito de ter participado do crime. Ele é conhecido como Dedé na região e está foragido, com mandado de prisão preventiva. De acordo com a Polícia Civil, Walisson estava dentro do veículo no momento do crime.  
 
Os policiais trabalhavam com a hipótese de que uma guerra de gangues entre a QNO 18 e 17 de Ceilândiateria motivado o crime. Um dos irmãos da vítima, de 15 anos, seria o alvo dos criminosos. Ele é suspeito de ter participado do assassinato na quadra da gangue rival. 

velório de Maria Eduarda, mais conhecida como Duda, ocorreu dois dias após o crime no Cemitério Campo da Esperança de Taguatinga. Durante a cerimônia, policiais militares abordaram uma pessoa suspeita de ter algum tipo de ligação com o crime, no entanto, o suspeito foi liberado em seguida. Familiares e amigos da família também afirmaram terem visto os responsáveis pelo crime no local.  

Investigação 

Os disparos que mataram Maria Eduarda e deixaram um irmão dela, de 19 anos, ferido, saíram de um Voyage preto. A suspeita é de que os três adolecesntes teriam teriam roubado o veículo cerca de 20 minutos antes. Um agente encontrou o carro abandonado, na noite de terça-feira, em Ceilândia. Outra vítima recente da disputa entre jovens moradores da QNO 17 e QNO 18 é um rapaz 17 anos, jogador de futebol amador, assassinado em uma parada de ônibus da QNO 17, ao lado da irmã de 12 anos.

Agentes da 24ª Delegacia de Polícia afirmam ter apreendido suspeitos dos crimes, em operações desencadeadas pela unidade para desarticular o comando das gangues da região. A matança teria reiniciado após um dos adolescentes fugir de um centro de internação e retornar à QNO 18, onde mora, há uma semana. Com um amigo, também morador da área, ele encontrou um terceiro adolescente, rival, residente na QNO 17, em 17 de maio. A dupla o espancou e o ameaçou de morte. Até então, ela não teria nenhum envolvimento na rixa entre as quadras. 

Três dias depois, no domingo, o adolescente da QNO 17 e um amigo foram a uma parada de ônibus da quadra. Encontraram o jogador de futebol amador de 17 anos e a irmã dele. No mesmo momento, passou o bando da QNO 18 que havia agredido o rapaz da 17. A turma da 18 abordou o jovem atleta. Questionaram a quadra dele. Antes que reagisse, o menino levou três tiros. Caiu morto ao lado da irmã. Parentes, vizinhos e policiais garantem que eles não tinham envolvimento com gangue ou crime algum.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade