Publicidade

Correio Braziliense

Sequestro termina em perseguição, tiroteio e duas mortes na Asa Sul

Homem abordou tia e sobrinho na 505 Sul e deu início à série de acontecimentos. No caminho, colidiu com uma Kombi, que levava dois ocupantes. Eles morreram na hora


postado em 11/08/2018 17:40 / atualizado em 12/08/2018 13:31

Caminhonete branca destruída(foto: Bruna Lima/Esp.CB/DA Press)
Caminhonete branca destruída (foto: Bruna Lima/Esp.CB/DA Press)
 

Um assalto com restrição de liberdade terminou em morte, na tarde deste sábado (11/8), na Asa Sul. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), um homem, que já estava em fuga após roubar um relógio Rolex na quadra 505, abordou duas pessoas em uma loja na mesma região. Ele manteve as vítimas, uma senhora e uma criança de 6 anos, dentro do veículo, dando início a uma série de acontecimentos, entre eles a morte de duas pessoas, no Eixão Sul.

 

Ilza Nogueira de Souza, 62 anos, e o sobrinho, 6, estavam dentro do estabelecimento comercial quando foram rendidos pelo ladrão. Segundo a vítima, o homem estava armado e usava um capacete no momento da abordagem. Ele teria usado uma moto momento antes, no roubo ao relógio. Paulo Bras de Oliveira Júnior, 23 anos, ordenou que a família entrasse no veículo e deu início à fuga. O ladrão seria beneficiário do Saidão de Dia dos Pais.

 

O suspeito tentava fugir com os reféns dentro do veículo, enquanto uma equipe da PMDF perseguia o Mitsubishi TR4 branco da família, guiado pelo bandido. A PMDF diz que Paulo chegou a atirar contra os policiais.

 

Ver galeria . 10 Fotos Bruna Lima/Esp. CB/D.A Press
(foto: Bruna Lima/Esp. CB/D.A Press )
 

 

No fim do Eixão Sul, o suspeito fez uma manobra brusca, bateu em uma Kombi que, desgovernada, invadiu a contramão e colidiu de frente com um EcoEsport. Os dois passageiros da Kombi, um homem e uma mulher, morreram na hora. O homem foi identificado como Márcio Barbosa de Oliveira. Ele trabalhava há 30 anos no consultório de Tarô Dona Dayane, na 711 Sul. Amigo da vítima , Ronaldo Rodrigues, um dos donos do escritório, disse que tinha Márcio como um irmão. "Coitado rapaz. Desde criança estava com a gente", disse.

 

O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal foi acionado para prestar socorro aos sobreviventes. Sete pessoas foram encaminhadas ao Hospital de Base de Brasília, duas crianças. Das cinco vítimas da EcoEsport, um homem está em estado grave, na sala vermelha da unidade de saúde. As outras quatro, com menos gravidade, são atendidas na sala amarela. O suspeito foi levado à 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), onde prestará esclarecimentos.

 

 

 

Saidão 

 

De acordo com a PMDF, o acusado já havia sido preso em 2016. Paulo cumpria pena em regime semiaberto e apenas dormia no Centro de Progressão de Penitenciária (CPP), podendo sair durante o dia para trabalhar. Com o benefício, o suspeito poderia, então, dormir em casa, durante os dias estipulados pela Justiça.

 

Brás fazia parte, ainda segundo a corporação, de uma quadrilha especializada em roubar relógios de luxo em Brasília. Após cometer o crime na capital, o bando enviava os produtos aos comparsas, membros do mesmo esquema, em São Paulo. Lá, o material era comercializado.

 

Segundo o major Michello Bueno, da Polícia Militar, Paulo Braz teria cometido um roubo minutos de abordar a tia e sobrinho, na 505 Sul. "Ele roubou o rolex de uma pessoa. Ele estava em uma moto, que ficou no local do crime. Ele tentou fugir, pegou o carro da família e iniciou essa fuga", disse o militar. 

 

O trânsito na região ficou completamente congestionado em ambos os sentidos, tanto para quem segue do Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek para a Asa Sul, quanto o contrário. A orientação é que os motoristas evitem a região até que a perícia da Polícia Civil seja concluída. 

 
Familiares 

 

Filho de Ilza Nogueira, o advogado Lázaro Farias, 35 anos, contou ao Correio que a mãe e a criança que estava no carro com ela tiveram apenas escoriações pelo corpo. O menino deve fazer uma tomografia, para descartar qualquer hipótese, em decorrência de uma pancada na cabeça. "Ainda estou muito assustado com o que aconteceu, sobretudo porque houve dois óbitos no local. É uma pena que morreram inocentes, isso é impactante. Apesar disso, é um alívio saber que os dois estão vivos. O dia dos pais poderia ser bem pior", disse. 

 

Na porta do Hospital de Base, havia uma aglomeração de familiares, dos envolvidos no acidente. A maioria preferiu não falar com a imprensa, mas todos demonstravam muita indignação, pelo fato de o assaltante ter sido liberado no Saidão de Dia dos Pais. "Enquanto isso acontecer, mais famílias terão de conviver com a dor que a gente está passando hoje", disse um dos parentes, que não quis se identificar.  

 

Funcionário da embaixada da Noruega, Kristian Bengtson, 45 anos, é padrinho da menina que estava no EcoSport. Segundo ele, a afilhada, que tem 7 anos, deve receber alta hoje ainda, pois não teve ferimentos graves."A sensação que fica é de que a vida é frágil. Em um segundo, tudo pode mudar. O sentimento é de revolta. É muito difícil aceitar que uma pessoa dessas saia da prisão, e coloque a sociedade em risco", disse. 

 

Colaborou Sarah Peres - Especial para o Correio

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade