Publicidade

Correio Braziliense

Homem de 31 anos sofre ataque cardíaco e morre durante teste físico da PMDF

Leonardo da Silva Oliveira tinha "saúde de touro", de acordo com familiares


postado em 20/09/2018 07:54 / atualizado em 20/09/2018 14:04

Leonardo gostava de praticar esportes e nunca havia apresentado problemas de saúde, segundo a família(foto: Reprodução/Facebook)
Leonardo gostava de praticar esportes e nunca havia apresentado problemas de saúde, segundo a família (foto: Reprodução/Facebook)

Leonardo da Silva Oliveira faleceu devido a um ataque cardíaco durante o Teste de Aptidão Física (TAF) da Policial Militar do Distrito Federal (PMDF), no Sesi de Taguatinga. O homem de 31 anos passou na prova escrita e realizava a prova física na tarde da última quarta-feira (19/9), quando passou mal e foi atendido já no local. Segundo familiares, Leonardo foi levado para o Hospital Regional de Taguatinga, mas não resistiu.

Amigo de infância da vítima, Paulo Alves Sá disse que o jovem nunca havia reclamado de nenhum tipo de problema de saúde: "Nunca, nunca mesmo. Ele fazia academia, pulava de paraquedas, jogava bola, tinha uma saúde de touro". Paulo também contou ao Correio que Leonardo estava muito feliz por ter chegado ao TAF, porque ser policial militar era seu sonho de infância. Este é pelo menos o segundo caso em que um candidato morre em Brasília durante teste físico de concurso público nos últimos anos.
 


Em contato com a PM, a corporação informou que que quem responde pela aplicação do exame é a Banca Examinadora do Instituto Americano de Desenvolvimento (IADES). O instituto, por sua vez, afirmou que se solidariza com a família do candidato e que ainda aguarda exames que indiquem a causa da morte. A instituição responsável pelo exame ressaltou ainda que "todos os candidatos são obrigados a apresentar atestado médico que comprovem a aptidão para a realização dos exercícios específicos para o concurso público" (leia a íntegra da nota abaixo). Relatos obtidos pelo Correio, porém, revelam que clínicas do DF emitem tais atestados baseadas em entrevistas curtas que não passam de cinco minutos. 
 

Minutos finais

Durante o teste, muitos familiares acompanham os candidatos para dar força. Raimunda Nonata, de 50 anos, acompanhava seu filho, que realizava o TAF junto a Leonardo, e viu tudo acontecer. "Ele estava fazendo a corrida e já era a última volta, quando começou a ir caindo. De repente ele caiu no chão e a mãe dele começou a gritar. Então o socorrista chegou, levaram para perto da ambulância e fizeram massagem cardíaca durante uns 15 minutos".
 
A mãe de outro participante do TAF, que não quis se identificar, chamou de desumano as atividades realizadas. “Eu acho um absurdo e uma humilhação colocar eles para praticarem tantas atividades nesse sol quente. Ontem não estava tão quente, mas na semana passada eles realizaram atividades com 12% de umidade”, desabafa.
 

Como funciona

O Teste de Aptidão Física é eliminatório e descarta candidatos que não atingirem os resultados necessários durante as etapas. Para estar apto, o concorrente deve passar por quatro exercícios, um teste em barra fixa, um teste de flexão abdominal, uma corrida de 12 minutos e uma prova de natação de 50 metros, a única que acontece em data diferente, dias depois dos outros três. 
 
Leonardo teve a parada respiratória nos últimos momentos da corrida, que é realizada em uma pista de atletismo. Um dos candidatos, Lucas Carvalho, de 19 anos, explicou a prova: "Nela a gente tem 12 minutos para percorrer 2 quilômetros e 400 metros. Ela é a última do dia e só chega lá quem não foi eliminado nas duas primeiras. Mas precisa ter um atestado médico para estar apto ao TAF, que é um atestado diferente do normal, específico para esse teste". 
 
Uma das hipóteses da parada cardíaca comentada entre outros candidatos seria a possível utilização de suplementos de cafeína, que, combinados com a adrenalina, pode trazer complicações cardíacas. Mas ainda não se sabe se Leonardo usou algum suplemento antes da prova. 
 

Nota de pesar da PM

"A Polícia Militar do Distrito Federal lamenta com pesar o falecimento do candidato ao cargo de soldado, Leonardo da Silva Oliveira, de 31 anos, na madrugada desta quinta-feira (20), no Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

Leonardo estava inscrito no Concurso Público de admissão ao Curso de Formação de Praças (CFP) da Polícia Militar do Distrito Federal e nesta quarta-feira realizou a etapa do Teste de Aptidão Física (TAF), conforme as orientações do Edital nº 21-DGP, de 24/01/2018.

Após apresentar o atestado médico específico para o certame, o candidato foi examinado em testes de flexão abdominal e barra fixa, nos quais foi considerado apto. Em seguida, iniciou o teste de corrida, no qual sentiu-se mal e não conseguiu finalizar a avaliação, caindo na pista. A partir deste momento, o socorrista aferiu que o candidato estava com ausência de pulso e iniciou o RCP. 

Toda a equipe médica disponível, que consiste em enfermeiros, socorristas e médico, prestaram atendimento ao candidato, prosseguindo com o RCP e oxigenação. O candidato foi removido para o Hospital Regional de Taguatinga, estabelecimento mais perto do local de aplicação da avaliação, e, por volta de 17h43, foi admitido na emergência deste hospital. A família informou à banca examinadora IADES que Leonardo faleceu às 2h40 do dia 20/09/2018.

A Polícia Militar do Distrito Federal presta condolências aos familiares e amigos em nome de todos que integram esta Instituição bicentenária que Leonardo pretendia integrar."
 

Nota do IADES na íntegra

"O IADES lamenta a morte do candidato Leonardo da Silva Oliveira, ocorrida na madrugada de hoje (20/09/2018). Estamos aguardando informações sobre a causa da morte e esclarecemos que, para a realização dos testes de aptidão física, todos os candidatos são obrigados a apresentar atestado médico que comprovem estarem aptos para a realização dos exercícios específicos para o concurso público. 

Ao passar mal durante a corrida, o candidato foi prontamente atendido por equipe médica emergencial, provida de ambulância tipo UTI móvel que acompanha a realização da etapa e removido para o hospital da rede pública mais próximo do local, em Taguatinga. 

Esclarece-se, ainda, que os testes de aptidão física do concurso público da PMDF visam avaliar a capacidade do candidato para suportar, física e organicamente, as exigências da prática de atividades físicas a que será submetido durante o Curso de Formação de Praças, bem como o desempenho das atividades policiais. Ressalta-se que essa etapa está sendo realizada em conformidade com o disposto no art. 39 da Lei no 4.949/2012, que impede a realização de prova física entre 11h e 15h.

O IADES reitera o seu pesar e se solidariza com os familiares do candidato." 
 
*Estagiários sob supervisão de Humberto Rezende 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade