Publicidade

Correio Braziliense

Candidatos ao GDF denunciam Ibaneis por suposta compra de votos

Assinaram a denúncia Eliana Pedrosa (Pros), Rogério Rosso (PSD), Alberto Fraga (DEM), Alexandre Guerra (Novo), Júlio Miragaya (PT), Fátima de Sousa (PSol) e Paulo Chagas (TRT)


postado em 03/10/2018 18:28 / atualizado em 03/10/2018 18:43

Entre as acusações, está a promessa do candidato de reconstruir casas derrubadas pela Agência de Fiscalização (Agefis) com o próprio dinheiro(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Entre as acusações, está a promessa do candidato de reconstruir casas derrubadas pela Agência de Fiscalização (Agefis) com o próprio dinheiro (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

A quatro dias para o primeiro turno das eleições de 2018, candidatos ao GDF levaram uma denúncia contra  Ibaneis Rocha, que concorre ao cargo pelo MDB, por abuso de poder econômico ao Ministério Público Eleitoral nessa terça-feira (2/10). Entre as acusações, está a promessa do candidato de reconstruir casas derrubadas pela Agência de Fiscalização (Agefis) com o próprio dinheiro. Assinaram a denúncia Eliana Pedrosa (Pros), Rogério Rosso (PSD), Alberto Fraga (DEM), Alexandre Guerra (Novo), Júlio Miragaya (PT), Fátima de Sousa (PSol) e Paulo Chagas (TRT).  

No documento encaminhado ao MPE, os adversários de Ibaneis pedem maior esclarecimento e apuração no âmbito do órgão e da Corregedoria Eleitoral. Além disso, os concorrentes acusam o emedebista de irregularidades na hora de ingressar no partido. O texto frisa que o candidato teria negociado contrapartida financeira com Nelson Tadeu Fillipelli para entrar no MDB.  

Outro ponto destacado pelos concorrentes é o uso de verba do candidato na campanha. De acordo com a denúncia, Ibaneis teria extrapolado o limite máximo de gastos, que é de R$ 5,6 milhões. Além disso, os candidatos afirmam que Ibaneis teria participado de um programa de televisão em 30 de setembro, sendo o único convidado. Ainda segundo a denúncia, ele teria usado um adesivo da própria campanha e desfrutou da audiência do programa para explanar as próprias propostas. Os denunciantes consideraram a participação de Ibaneis como uma "verdadeira propaganda eleitoral durante a programação normal de televisão, em nítido uso indevido dos meios de comunicação social".  

Justificativa  

Questionado pelos candidatos durante debate do Correio Braziliense em parceria com a TV Brasília, Ibaneis respondeu que não é crime dizer que vai reconstruir as casas derrubadas pela Agefis com o próprio dinheiro. Ele reitera que as residências serão reconstruídas com recursos oriundos de precatórios próprios. "Não entendo que isso seja compra de voto e eu tenho conhecimento jurídico. Tenho certeza que não fiz nada errado, serei absolvido", frisa.  

Quando o vídeo do candidato garantindo a promessa de reconstrução de casas durante uma agenda veio à tona, em nota, Ibaneis também se justificou. "Ibaneis defende que as famílias que tiveram suas casas derrubadas injustamente pela Agefis tenham direito a uma indenização paga pelo GDF, depois que, lógico, o caso tiver sido analisado pela Procuradoria-Geral. Não é dinheiro próprio, mas do orçamento do governo. O 'meu dinheiro' é, obviamente, força de expressão. Até porque ele já registrou em cartório que vai transferir para os cofres públicos todo o valor que tiver a receber em honorários ganhos pelo escritório dele. Este dinheiro poderá ser usado inclusive nesses casos". 

O Correio entrou em contato com a assessoria de imprensa do candidato Ibaneis Rocha, para questionar sobre as outras denúncias, no entanto, até a última atualização desta reportagem, não obteve resposta. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade