Publicidade

Correio Braziliense

Homem que matou irmãos com micro-ônibus é condenado a 28 anos de prisão

Crime ocorreu em 2017 e, à época, acusado respondia em liberdade a processo por tráfico de drogas


postado em 30/11/2018 21:16 / atualizado em 30/11/2018 21:26

(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
(foto: Maurenilson Freire/CB/D.A Press)
Um ano e nove meses depois de ter atropelado duas pessoas com um micro-ônibus, em Santa Maria, causando duas mortes, Maycon Phablo Moreira Oliveira, de 22 anos, foi condenado a 28 anos e 6 meses de prisão, inicialmente, em regime fechado. O crime aconteceu por volta das 6h30 de 27 de fevereiro de 2017. Segundo a investigação, Maycon e outras quatro pessoas passaram a noite bebendo. Em depoimento, ele disse que uma das vítimas havia se recusado a devolver um isqueiro e que, em seguida, teria lhe dado uma rasteira. Maycon tentou iniciar uma briga, mas foi contido.
 
Em seguida, ele foi até o estacionamento da empresa de ônibus onde trabalhava, a Cootarde. Pegou um dos micro-ônibus e atropelou os irmãos Adriano Ribeiro Félix, 40, e Adriana Ribeiro Félix, 34. Ele teria ainda dado marcha a ré duas vezes para atingir novamente as vítimas. Outras duas pessoas conseguiram escapar do ataque. O réu alegou que não tinha intenção de matar, apenas "dar um susto". Adriano morreu no local. A irmã chegou a ser transportada com vida para o Hospital Regional de Santa Maria, mas não resistiu. Ela deixou quatro filhos.
 
Uma das vítimas morreu no local, mas a outra chegou a ser transportada para o Hospital Regional de Santa Maria(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
Uma das vítimas morreu no local, mas a outra chegou a ser transportada para o Hospital Regional de Santa Maria (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
À época, o diretor da Cootarde, Peterson da Silva Costa, informou que Maycon trabalhava para a empresa havia um ano. "Ele era conhecido e tinha credibilidade; então, ele entrou, pegou o veículo, e ninguém imaginava que faria uma coisa dessas", lamentou, à época. No dia seguinte ao crime, o acusado se apresentou na 20ª Delegacia de Polícia, no Gama, mas foi liberado.
 
A condenação em primeira instância foi dada ontem (29/11) pelo Tribunal do Júri de Santa Maria. Todas as qualificadoras foram aceitas: motivo fútil e recurso que dificultou a defesa das vítimas. A defesa poderá recorrer, mas o réu não responderá em liberdade.

Tráfico de drogas

A nova condenação se soma à pena de 1 ano e 8 meses em regime aberto e 166 dias-multa decretada no dia 30 de novembro de 2017 pela juíza Monica Iannini Malgueiro, da 1ª Vara de entorpecentes do Distrito Federal. Em dezembro de 2016, Maycon foi preso em flagrante ao vender crack na Rodoviária do Plano Piloto. Dois dias depois, ele passou por audiência de custódia, quando o juiz Matheus Stamillo Santarelli Zuliani negou que o acusado poderia responder ao processo em liberdade.

Em maio de 2017, poucos meses depois de assassinar os irmãos Ribeiro Félix, Maycon deveria ter comparecido a nova audiência, mas, como não foi localizado, a Justiça expediu mandado de prisão preventiva. Em junho, o acusado foi preso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade