Publicidade

Correio Braziliense

Anúncio de vaga de emprego em supermercado forma fila gigantesca no Itapoã

Desempregados madrugaram na fila em busca de uma vaga de emprego em um supermercado no Itapoã. Antes do meio-dia, 6 mil currículos foram entregues


postado em 09/01/2019 10:57 / atualizado em 09/01/2019 15:45

(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
Em busca de uma oportunidade de emprego, dezenas de pessoas madrugaram em frente a um supermercado no Itapoã. O anúncio feito pela empresa informava que o horário de entrega de currículos seria entre as 9h e as 16h desta quarta-feira (9/1), mas o sol ainda nem tinha nascido quando os primeiros candidatos chegaram, munidos de cadeiras de plástico, agasalhos e lanche para enfrentar a longa espera.

Com o início da manhã, mais e mais pessoas foram chegando, dando forma a uma fila gigantesca, recheada de esperança. Por volta das 11h, os candidatos se estendiam por cerca de 450m, sob o sol forte. Muitos acompanhados de crianças. Antes do meio-dia, mais de seis mil currículos haviam sido entregues.

A maioria que estava na fila não sabia informar o número de vagas nem as funções que os novos contratados deverão desempenhar, mas isso não tirou a esperança de pessoas como Jacira Cantanhede, 49 anos, que esperou por três horas até entregar seu currículo. Ela veio de São Luiz há seis anos com o marido, que sustenta sozinho a casa com sete pessoas. 

"É difícil. Todo mês, as contas chegam e a gente passa aperto. Ficar em casa sem poder fazer nada é ruim, e estou esperançosa de que dessa vez vai dar certo”, disse a maranhense. "Estou há quatro anos fazendo bico e, mesmo que a gente não tenha informação de quando vão chamar, essa é uma pequena esperança".

Ver galeria . 8 Fotos Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press )


Segundo um representante da empresa disse ao Correio, serão 300 vagas para o supermercado e cerca de mil para lojas que funcionarão no mesmo prédio. As contratações devem ocorrer em fevereiro. Italo Leite, 19 anos, torce para que seja um dos selecionados, para ajudar a mãe a pagar as contas de casa.

"Entreguei currículo em vários lugares, mas está difícil para todo mundo. Então, quando surge uma oportunidade dessa, a gente vem feliz, fica na fila e no sol o quanto precisar", contou o jovem, que busca uma vaga há um ano e nove meses e já completava duas horas de fila.

Brasiliense sofre com desemprego

A pesquisa mais recente da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), de novembro de 2018, aponta 310 mil desempregados na capital federal. O levantamento divide as regiões administrativas conforme a renda. Itapoã está no grupo 4, considerado áreas que concentram pessoas de baixa renda. Segundo os dados, a taxa de desemprego nesse conjunto de regiões estava em 23,7%.

Na terça-feira, o chefe da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do DF, Ruy Coutinho, disse em entrevista ao programa CB.Poder, que a meta do governo local é reduzir ao máximo o número de desempregados que, hoje, gira em torno de 300 mil pessoas no Distrito Federal.

"Podemos diminuir bastante nos dois primeiros anos, usando todos os instrumentos que possam ser úteis para esse objetivo. Uma ação importante para isso será a identificação de vocações alternativas para o Distrito Federal, que atualmente é muito preso ao governo e à construção civil. Temos que descentralizar a matriz econômica do DF para outros setores que envolvam políticas públicas inovadoras", comentou Coutinho.
 
*Estagiários sob supervisão de Humberto Rezende 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade