Publicidade

Correio Braziliense

Briga por pagamento de drogas levou à morte de morador da Asa Sul

Com o desentendimento, o suspeito decidiu chamar um irmão para roubar o carro da vítima, Felipe Cezar dos Reis Almeida, 28 anos. Jovem foi morto asfixiado dentro do veículo


postado em 10/01/2019 19:58 / atualizado em 10/01/2019 19:59

O morador da Asa Sul Felipe Cezar dos Reis Almeida, 28 anos, foi encontrado morto no domingo(foto: Arquivo pessoal )
O morador da Asa Sul Felipe Cezar dos Reis Almeida, 28 anos, foi encontrado morto no domingo (foto: Arquivo pessoal )
 
Dois irmãos foram presos em flagrante suspeitos de matarem e roubarem o morador da Asa Sul Felipe Cezar dos Reis Almeida, 28 anos. A briga começou entre a vítima e Wandiney Pereira Lemes dos Santos, 21, por causa de drogas. Irritado, o acusado decidiu chamar o irmão de 20 anos para roubar o veículo do jovem. Ele foi asfixiado dentro do carro e, depois, jogado em um córrego do bairro Pacaembú, em Valparaíso de Goiás. Um terceiro irmão dos acusados, de 19 anos, também foi detido, mas por receptação. 
 
Segundo o delegado Rafael Abrão, do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Valparaíso, Felipe e Wandiney se conheceram na cidade no início da semana do assassinato, que aconteceu na manhã de domingo (6/1). "Os dois se envolveram em um relacionamento amoroso e, geralmente, os encontros eram regados a drogas como maconha, cocaína e crack", delimita o investigador. 
 
O casal havia saído na noite de sexta-feira (4/1) para sábado (5), quando comprou entorpecentes em um ponto de tráfico conhecido como Posto 7, em Valparaíso 2. "Depois, eles seguiram para um motel da cidade, onde ficaram juntos. Já no sábado, Felipe foi para a casa de uma amiga em Taguatinga e, depois, disse que ia embora. Ele saiu de lá e se encontrou com Wandiney", afirma. 
 
Wandiney Pereira Lemes dos Santos, 21, teria se irritado por conta da discussão e decidiu roubar e matar a vítima(foto: Divulgação/PCDF)
Wandiney Pereira Lemes dos Santos, 21, teria se irritado por conta da discussão e decidiu roubar e matar a vítima (foto: Divulgação/PCDF)
 
 
O encontro aconteceu por volta das 21h. De acordo com o delegado, novamente eles compraram as drogas e foram para o motel, onde ficaram até a manhã de domingo (6/1). Nesse período, os dois se desentenderam sobre o dinheiro dos entorpecentes. 
 
"Fica um ponto obscuro: se a discussão iniciou porque Wandiney achava que havia gastado mais dinheiro do que Felipe; ou se ele achava que a vítima deveria pegar mais drogas. Os dois saíram alterados do local e o suspeito pediu para que passassem na casa do irmão, também em Valparaíso. Ali, a intenção dele era ficar com o carro e o celular de Felipe", esclarece Rafael Abrão. 
 
Felipe dirigiu até a casa do segundo envolvido, que entrou no banco de trás do carro. Em um quebra-mola, a vítima reduziu a velocidade e, neste momento, levou um mata-leão do jovem de 20 anos. "Quando ele desmaiou, o irmão assumiu o volante. Wandiney colocou Felipe no banco traseiro e terminou de matá-lo, asfixiado", disse. Após confirmarem o óbito, os acusados jogaram o corpo no córrego. 
 
Agentes encontraram o carro da vítima na segunda-feira (8/1), no Setor de Chácaras Anhanguera, no bairro Céu Azul(foto: Divulgação/PCDF)
Agentes encontraram o carro da vítima na segunda-feira (8/1), no Setor de Chácaras Anhanguera, no bairro Céu Azul (foto: Divulgação/PCDF)
 
 
Como a investigação indicou que a intenção dos suspeitos era o roubo, a tipificação do crime mudou de homicídio para latrocínio. Os dois irmãos foram indiciados pelo crime e, se condenados, poderão pegar de 20 a 30 anos de prisão. 
 
"A briga por causa do dinheiro das drogas pode ter levado Wandiney ao latrocínio, por ter se sentido 'lesado' financeiramente. Mas, sem dúvidas, não se trata de um crime passional", frisa o delegado Rafael Abrão. 
 
Wandiney já tem passagem em Luziânia por homicídio, cometido em 2016. Contudo, o GIH de Valparaíso também investiga a relação dele em outro assassinato na cidade, que ocorreu em dezembro do ano passado. 
 
Um terceiro irmão dos suspeitos também foi preso. Ele foi indiciado por receptação, pois estava utilizando o celular de Felipe. 

Entenda o caso

O corpo do morador da Asa Sul foi encontrado por volta das 9h de domingo (6), por um morador do bairro Pacaembú. A princípio, a polícia tratou o caso como homicídio, porque o corpo da vítima estava com a carteira e não tinha sinais evidentes de violência, com excessão de arranhões no pescoço. 
 
Na carteira preta de couro de Felipe estavam R$ 20, cartões de visita variados, carteira de habilitação e documento do carro, um Ford Fiesta vermelho. Com a identificação da vítima, familiares foram chamados até a cidade do Entorno, onde fizeram o reconhecimento cadavérico. 
 
O laudo preliminar da perícia já havia indicado que Felipe havia sido assassinado em outro local e, posteriormente, jogado no córrego. O veículo dele foi encontrado na segunda-feira (8/1), no Setor de Chácaras Anhanguera, no bairro Céu Azul. De acordo com a investigação, os irmãos bateram o automóvel e, por isso, o abandonaram. 
 
O corpo de Felipe Cezar foi velado na terça-feira (9/1), no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade