Publicidade

Correio Braziliense

Ministério Público vai acompanhar a organização do carnaval 2019

MP se reuniu com moradores e recebeu ofícios com os principais problemas apontados, como segurança, sujeira e barulho


postado em 14/01/2019 20:19 / atualizado em 14/01/2019 20:19

Para os moradores, carnaval no Eixo Monumental atrai público grande e oferece mais segurança aos foliões(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Para os moradores, carnaval no Eixo Monumental atrai público grande e oferece mais segurança aos foliões (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
Lixo, barulho e trânsito são alguns dos aspectos que serão acompanhados de perto no carnaval deste ano em Brasília pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). A novidade foi trazida pela Procuradoria Distrital dos Direitos do Cidadão, que se reuniu na última sexta-feira (11/1) com líderes comunitários, prefeitos de quadras, integrantes de conselhos e síndicos de blocos da Asa Sul e Norte para debater o assunto.
 
No encontro, o grupo falou sobre as preocupações dos moradores em relação à segurança e ao impacto causado pelas festas, principalmente nas áreas residenciais. A procuradoria também recebeu ofícios apresentando os principais problemas ocorridos nas folias anteriores, incluindo ocorrências policiais. Segundo o MPDFT, os relatos dos representantes foram de que os blocos que saem no Eixo Monumental têm grande adesão e oferecem mais segurança aos foliões.

Patrocínio para os blocos

Até agora, apenas 55 das 72 agremiações carnavalescas que se inscreveram para captar recursos para as festas deste ano foram habilitadas pela Secretaria de Cultura (Secult). No sábado (12/1), a pasta informou que ainda está atrás de patrocínios junto a empresas privadas e que, até o momento, dispõe de um orçamento de R$ 4 milhões, dos quais a metade será destinada exclusivamente aos blocos (o que inclui pré e pós-carnaval também).
 
Em 2018, a secretaria destinou R$ 4,5 milhões para organizar as comemorações do feriado. A expectativa era de que 2,5 milhões de foliões participassem das festas nas ruas da capital — três vezes mais que o apurado oficialmente. Em 2017, a festa recebeu R$ 2,3 milhões e teve um público de 1,5 milhão de pessoas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade