Publicidade

Correio Braziliense

Jovem assassinada em Planaltina será enterrada neste sábado

Paula Fernanda Barbosa Ferreira, 19 anos, morreu com facadas e tiros na última terça-feira (29/1). Por enquanto, polícia ainda não identificou suspeitos


postado em 31/01/2019 21:07 / atualizado em 31/01/2019 21:33

O corpo da jovem foi encontrado com perfurações no peito, pescoço e rosto(foto: Reprodução/Facebook)
O corpo da jovem foi encontrado com perfurações no peito, pescoço e rosto (foto: Reprodução/Facebook)

A jovem Paula Fernanda Barbosa Ferreira, 19 anos, assassinada na última terça-feira (29/1), será enterrada no Cemitério de Planaltina no próximo sábado (2/2). Ela foi morta após ter sido sequestrada durante um assalto à casa onde morava com os pais e os filhos, em Planaltina de Goiás, na noite de segunda-feira (28/1).

 

Os pais da vítima decidiram marcar o sepultamento para o fim de semana para que familiares de Paula Fernanda que moram em Minas Gerais cheguem a tempo de se despedir da jovem. A cerimônia deve começar às 10h.

 

Paula Fernanda foi encontrada no matagal de uma área rural da região administrativa, às margens da DF-330, próximo ao Córrego do Meio, com perfurações no peito, pescoço e rosto. Os ferimentos, segundo a Polícia Civil, foram causados por golpes de faca e disparos de arma de fogo. Paula Fernanda levou ao menos dois tiros na nuca e foi deixada em meio a uma pilha de pneus velhos. Os criminosos tentaram atear fogo no corpo, contudo, não conseguiram.

 

Mãe da jovem, a dona de casa Selma Barbosa, 48, disse ao Correio que dois homens e uma mulher participaram do crime. Na noite de segunda-feira, eles apareceram na casa da família e anunciaram um assalto. Os criminosos trancaram os pais e os filhos de Paula Fernanda em um banheiro, roubaram dois celulares da família e fugiram em um carro, levando a jovem de 19 anos. “Implorei para que eles levassem só os celulares e que nos deixassem em paz. Mas não escutaram. Sequestraram a minha filha e a mataram no dia seguinte”, lamentou Selma.

 

Paula Fernanda era mãe de um menino de 4 anos e de uma menina, de 1. Neste ano, ela ia se matricular na Educação de Jovens e Adultos (EJA), para concluir o ensino médio. Segundo Selma, a filha sonhava em ser advogada. "Todos os dias, ela me falava que iria se formar em direito para dar uma vida melhor à nossa família. A Paula era uma pessoa muito preocupada conosco. Acabaram com os sonhos dela da pior maneira possível", desabafou a mãe.

 

Polícia continua busca por suspeitos

 

Por enquanto, ninguém foi preso pelo crime. No dia da morte de Paula Fernanda, uma mulher de 22 anos e um homem de 18 foram detidos por policiais da 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina), mas acabaram liberados por falta de provas. A princípio, a polícia trata o crime como homicídio, mas não descarta as hipóteses de feminicídio e latrocínio (roubo com morte).

 

Paulo Barbosa, 21, irmão da vítima, relata que ela chegou a receber ameaças de uma mulher pelas redes sociais. "Parece que o que aconteceu foi premeditado. Uma crueldade sem explicação."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade