Publicidade

Correio Braziliense

Polícia Militar flagrou 60 motoristas embriagados por dia no DF em janeiro

De acordo com a corporação, 1.872 condutores foram autuados por alcoolemia apenas no primeiro mês de 2019


postado em 07/02/2019 14:21 / atualizado em 07/02/2019 14:33

14 motoristas foram presos em janeiro deste ano por dirigirem alcoolizado(foto: Monique Renne/CB/D.A Press)
14 motoristas foram presos em janeiro deste ano por dirigirem alcoolizado (foto: Monique Renne/CB/D.A Press)

 
Apesar das duras penas previstas no Código de Trânsito Brasileiro a quem é flagrado dirigindo embriagado, os condutores do Distrito Federal ainda dão mostras de que a Lei Seca não é um impeditivo para que eles assumam a condução sob o efeito de álcool. Em janeiro deste ano, de acordo com a Polícia Militar, 1.872 pessoas foram autuadas por alcoolemia no trânsito. O número representa uma média de 60 flagrantes por dia.
 
Os números são do Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran). Em comparação ao mesmo mês de 2018, houve um aumento de aproximadamente 42%. Em janeiro do ano passado, a PMDF autou 1.322 condutores por embriaguez — o equivalente a 42 notificações diárias.
 
Segundo o levantamento do CPTran, 14 motoristas foram presos em janeiro deste ano por dirigirem alcoolizados. Desde 2016, quem é pego dirigindo alcoolizado passou a pagar multa no valor de R$ 2.934,70. Além disso, aqueles com resultado entre 0,2 miligrama de álcool por litro de ar expelido dos pulmões (mg/l) e 0,33mg/l ao assoprar o bafômetro perdem sete pontos na carteira, têm a habilitação recolhida e o direito de dirigir suspenso por 12 meses.
 
No caso de condutores flagrados com índices superiores a 0,33mg/l, além de multa, perda de pontos, recolhimento da habilitação e suspensão do direito de dirigir, eles devem responder a processo administrativo. Neste caso, o motorista está sujeito a prisão em flagrante, mas pode ter fiança arbitrada pela autoridade policial. 
 
Em caso de acidente que resulte em morte ou lesões graves no trânsito, as penas são mais duras. Quem beber e matar será enquadrado no crime de homicídio culposo, podendo ser condenado de 5 a 8 anos de prisão, sem direito a fiança. Se o acidente provocar lesão grave ou gravíssima, a pena varia entre 2 e 5 anos de reclusão, também sem direito a fiança.
 

Mais de 4 mil autuações por uso de celular

Também no mês passado, o CPTran abordou 4.985 motoristas pela uso de celular — quase 161 casos por dia. Além disso, os policiais militares recolheram 1.651 documentos entre carteiras de habilitação e permissões para dirigir. 
 
De acordo com as demais estatísticas fornecidas pela corporação, 491 veículos foram removidos ao depósito do Departamento de Trânsito (Detran-DF), 762 pessoas foram autadas por transporte irregular e cinco veículos roubados foram recupoerados 
 

PRF flagrou 74 motoristas embriagados

Um levantamento feito pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) mostrou que a corporação autuou 74 motoristas dirigindo embriagados nas rodovias do DF e Entorno no último mês. Segundo a PRF, a estatística é quase 30% maior que a de janeiro 2018.

"A ingestão de álcool associada à direção de veículo automotor foi a segunda principal causa de acidentes na região no ano anterior, ficando atrás apenas da falta de atenção de motoristas e pedestres", alertou o órgão, por meio de nota oficial. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade