Publicidade

Correio Braziliense

No primeiro dia de aula, famílias do DF pedem materiais escolares

Grupos de doações e instituições ajudam, mas não conseguem suprir necessidade de famílias carentes


postado em 11/02/2019 14:40 / atualizado em 11/02/2019 14:41

Papelarias lotaram em janeiro e fevereiro, mas muitos pais não puderam ir às compras (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Papelarias lotaram em janeiro e fevereiro, mas muitos pais não puderam ir às compras (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
As aulas da rede pública de ensino voltaram nesta segunda-feira (11/2), mas nem todos os alunos estão prontos para um novo período letivo. A lista de materiais escolares é uma das barreiras à educação para famílias carentes, como a de Sabrina Almeida, 31, que está grávida e desempregada, e ainda não conseguiu comprar lápis e cadernos para a filha de 8 anos.

Sem renda para compras, a gestante teve que pedir ajudas online. "Vi no Facebook o link para participar de um grupo do WhatsApp de doações e entrei. Lá eu mandei uma mensagem pedindo estojo, lancheira, lápis e essas coisas." No primeiro dia de aula da filha, Sabrina ainda não conseguiu nenhum material, mas não pretende deixar a garota em casa. 

Ela conta com um auxílio social e uma pequena renda que consegue fazendo maquiagem para sustentar a família, mas o dinheiro não é suficiente para zerar a lista dos objetos de papelaria. "Eu só vou receber o Bolsa Família dia 26, e não queria deixar minha filha ir à escola sem nada até lá." Na lista recebida pela moradora do Riacho Fundo II, estão, por exemplo, quatro cadernos, cinco lápis e dois pacotes de papel: "São poucas coisas, mas não tenho condições de comprar hoje", lamenta.

Ajuda institucional

Sabrina mostra lista de materiais de filha:
Sabrina mostra lista de materiais de filha: "É pequena, mas não consigo comprar" (foto: Divulgação)
Para auxiliar famílias como a de Sabrina, entidades de Brasília se tornaram ponto de coleta de materiais escolares para doações. No Gama, o Instituto Social Fonte de Luz cadastrou famílias em vulnerabilidade social para trabalhos de acolhimento educacional, e buscou pessoas que pudessem doar de cadernos a pequenas quantias em dinheiro, mas também encontrou dificuldades.

"Nós atendemos 60 crianças em idade escolar, dos primeiros anos até o nível médio. E neste começo de ano fizemos a arrecadação de materiais, mas, até hoje, só conseguimos o suficiente para quatro ou cinco alunos, no máximo. Agora estamos buscando parcerias, inclusive com o Ministério Público, e vamos continuar recebendo até semana que vem, para tentar dar esses kits a todos", disse a presidente do instituto, Eleny Correia, 45.
 
Outra entidade empenhada em garantir o material escolar de crianças carentes é a Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal (VIJ-DF). A campanha da VIJ terminou semana passada. Após semanas de recolhimento de materiais, na última sexta-feira (8/2) a entidade entregou mais de 7 mil itens. "Os artigos foram destinados a crianças e adolescentes de instituições de acolhimento atendidas pela Rede Solidária, ao público infantojuvenil acompanhado pelas seções técnicas da VIJ-DF e a adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas", informou o TJDFT, em nota. 
 
Para doar ao Instituto Social Fonte de Luz
Telefone:(61) 98609-5558 / 3385-4699
Quadra 01, Lote 14A, Setor Norte - Gama-DF
E-mail: institutosocialfontedeluz@gmail.com

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade