Publicidade

Correio Braziliense

Uma das passageiras do ônibus que tombou na BR-020 morre no hospital

Passageiros eram garis da empresa Sustentare, que trabalha para o Serviço de Limpeza Urbana (SLU)


postado em 17/02/2019 18:27 / atualizado em 17/02/2019 23:05

Um pessoa morreu e 21 pessoas ficaram feridas(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press )
Um pessoa morreu e 21 pessoas ficaram feridas (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press )
 
Uma pessoa morreu em acidente na BR-020, na tarde deste domingo (17/2). Ela era passageira de um ônibus que tombou quando seguia para Planaltina. Segundo a Secretaria de Saúde, 21 pessoas ficaram feridas e oito foram encaminhadas ao hospital. Uma outra vítima está em estado grave no Hospital Regional de Planaltina. 

A confirmação da morte ocorreu às 18h24, em nota encaminhada pela empresa e confirmada pela Secretaria de Saúde. A vítima foi identifcada como Crisangela da Cruz Silva, 41 anos, que morreu em cirurgia no Hospital Regional de Planaltina. "Infelizmente, uma colaboradora não resistiu aos ferimentos e faleceu no hospital. Outras duas pessoas continuam hospitalizadas e passam por exames. A empresa lamenta profundamente o ocorrido e está prestando toda a assistência aos funcionários envolvidos no acidente. As causas do acidente estão sendo investigadas", informou a assessoria da Sustentare.
 
O Sindicato de Limpeza Urbana do Distrito Federal também se pronunciou: "É com pesar que informamos o falecimento da companheira Crisangela Cruz. [...] O Sindicato continuará acompanhando a situação e qualquer informação será divulgada".
 
A ocorrência do acidente foi registrada na 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina). Segundo o delegado plantonista Mozelí da Silva, somente a perícia poderá concluir as causas do acidente. "A PRF preservou o local, e nós vamos realizar perícia para analisar o caso. Mas, segundo foi relatado, o motorista do ônibus disse ter sido fechado na via e teria acabado tombando após não conseguir desviar de um segundo veículo", afirmou. 

Seis pacientes chegaram ao Hospital Regional do Paranoá por volta das 14h30, sem risco de vida aparente, segundo um funcionário da unidade de saúde. Às 16h30, eles aguardavam medicações e exames. Bete Dias Pereira, 55 anos, trabalha com as vítimas do acidente, mas não estava de plantão neste fim de semana. "Muitas colegas minhas foram trabalhar. Uma amiga me ligou e disse que o ônibus tinha sofrido um acidente e corri para cá. Fiquei desesperada, porque a gente não tem notícia de para onde elas foram, como estão", lamentou.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade