Publicidade

Correio Braziliense

63 linhas de ônibus usarão corredor central da EPTG; confira quais são elas

Circulação dos coletivos nas faixas exclusivas ocorrerá apenas nos horários de pico. Passageiros afetados deverão embarcar no canteiro central da via


postado em 13/03/2019 17:43 / atualizado em 13/03/2019 20:27

(foto: Ed Alves/CB/DA.Press - 8/3/2019)
(foto: Ed Alves/CB/DA.Press - 8/3/2019)
As mudanças de sentido nas faixas exclusivas da Estrada Parque Taguatinga (EPTG) começam na segunda-feira (18/3) e têm previsão para durar um ano, até que as empresas de ônibus adquiram veículos com portas do lado esquerdo. Em coletiva na tarde desta quarta-feira (13/3), o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, estimou que a inversão deverá reduzir em 30 minutos o tempo de viagem pela via nos horários de pico. 

Das 132 linhas que passam pela EPTG, 63 circularão nas faixas exclusivas nos períodos de maior fluxo. As demais 69 continuarão usando as vias marginais. Fora do horário de pico, as regras para o tráfego na estrada-parque se mantêm. Até 18 de março de 2020, as empresas de ônibus que operam no trecho deverão adquirir 309 novos coletivos, segundo uma determinação do GDF. "Serão 56 da Marechal, 211 da São José e 42 da Urbi", detalhou Casimiro.

A inversão das faixas de ônibus valerá apenas de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h (sentido Taguatinga-Plano Piloto) e das 17h30 às 19h45 (sentido Plano Piloto-Taguatinga). Nesses períodos, os motoristas que seguirem no contrafluxo deverão trafegar em três faixas, como ocorre atualmente. Enquanto as pistas exclusivas estiverem com tráfego no sentido contrário, os carros de passeio terão quatro faixas livres para circulação no sentido de maior fluxo.

Os motoristas que entrarem na faixa exclusiva — liberadas para carros de passeio nos horários de pico — não poderão sair dela até chegarem à outra extremidade da EPTG. Enquanto isso, dois guinchos ficarão posicionados no início e no fim da rodovia para atender casos de emergência envolvendo ônibus nas linhas reversas. Como medida de segurança, a velocidade máxima permitida nelas será de 60km/h.

Apesar de agradar alguns condutores, as alterações ainda confundem muita gente. "Eu não sabia que já seria na segunda-feira. Pode dar uma pequena confusão, mas vai ajudar bastante, porque essa porta vai ficar do lado certo", comentou a atendente Ana Coelho, 30 anos. Ela costuma fazer o trajeto de casa, em Vicente Pires, para o trabalho, na Companhia Energética de Brasília (CEB). "Vai ser bom para quem vem de carro e ônibus principalmente nesse horário", opinou.

Maria de Fátima de Oliveira, 45, viaja diariamente do trabalho, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), para casa, no Recanto das Emas. Funcionária de serviços gerais, ela acredita que a transição será difícil. "Muita gente não estava sabendo. Eu mesma não fazia ideia. Ia perder meu ônibus na segunda-feira", comentou. Ela também considera que os impactos não farão grande diferença: "Isso vai confundir mais do que mudar. Vamos ver se ajudará mesmo no tempo de voltar para casa ou não", completou.

Obras do BRT


Apesar do prazo dado às empresas de ônibus para a compra de coletivos com portas do lado esquerdo, a Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) ainda não tem data definida para levar o BRT para a EPTG. 
 
De acordo com o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem no Distrito Federal (DER-DF), Fauzi Nacfur, a implementação do serviço depende da finalização de obras do Eixo Oeste, previstas no plano do Expresso DF. 

“Nosso objetivo é o BRT Eixo Oeste, que funcionará desde o Sol Nascente até a Epig (Estrada Parque Indústrias Gráficas), chegando ao Eixo Monumental. Isso ainda necessita de obras tanto na Epig quanto em Ceilândia”, declarou. 

Contratos

 

Mesmo com a previsão da compra de coletivos com portas do lado esquerdo nos contratos elaborados com as empresas de ônibus, a compra desses veículos ainda não aconteceu. Não há, no entanto, uma explicação para o fato de isso ainda não ter ocorrido, segundo o diretor-geral Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), Josias Seabra.

"Identificamos isso quando entramos e estamos cobrando efetivamente o que está previsto em contrato. Não tenho como falar por que isso não foi definido em outros anos. Em nossa administração, sentamos, desde o início do governo, com uma determinação para que possamos mudar esse status quo. Fazemos isso com algumas atitudes que não posso dizer por que não foram tomadas no passado", ressaltou Josias.

Alterações


Confira quais linhas de ônibus terão embarque apenas no canteiro central nos horários de pico:

(foto: Divulgação/Agência Brasília)
(foto: Divulgação/Agência Brasília)

(foto: Divulgação/Agência Brasília)
(foto: Divulgação/Agência Brasília)


Confira quais linhas de ônibus não passarão pelo canteiro central da EPTG nos horários de pico:

(foto: Divulgação/Agência Brasília)
(foto: Divulgação/Agência Brasília)

(foto: Divulgação/Agência Brasília)
(foto: Divulgação/Agência Brasília)


*Colaborou Bruna Lima

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade