Publicidade

Correio Braziliense

VÍDEO: Chuvas em Brazlândia fazem lago transbordar

Moradores ficaram ilhados em restaurante comunitário enquanto motoristas fugiam das enxurradas


postado em 13/04/2019 20:29 / atualizado em 13/04/2019 20:45

As chuvas que caíram durante a tarde deste sábado (13/4) no Distrito Federal causaram transtornos em Brazlândia. Por volta de 13h50 a tempestade começou e fez com que o Lago Veredinha, principal ponto turístico da região administrativa e que fica na parte mais baixa da cidade transbordasse. Com isso, a água subiu e causou enxurradas em várias ruas.
 
O microempresário Júnior Santos, de 29 anos, foi com a esposa e a filha almoçar no restaurante comunitário que fica no bairro São José, ponto mais alto de Brazlândia. Na hora de ir embora, foi surpreendido pelo aguaceiro e precisou se abrigar no estabelecimento com outros moradores por cerca de uma hora e meia, até que as corredeiras que tomaram as ruas diminuíssem.
 
Para tentar alertar a população da cidade ele fez um vídeo e divulgou nas redes sociais mostrando os arredores do restaurante. Nas imagens é possível ver um motorista manobrando o carro na contramão para evitar ser levado. “Isso não é comum por aqui, é a primeira vez que vi algo do tipo. As margens do lago ficaram completamente cobertas. Realmente foi uma chuva extraordinária”, pondera.
 
Mesmo depois das chuvas, orla do lago Veredinha ainda ficou parcialmente alagada(foto: Arquivo Pessoal)
Mesmo depois das chuvas, orla do lago Veredinha ainda ficou parcialmente alagada (foto: Arquivo Pessoal)
Mesmo depois da tormenta, o nível de água do Veredinha ainda cobria parte das calçadas que fazem o contorno do espelho d’água. Ao todo, a orla mede cerca de 1,5 mil metros e tem infraestrutura com bares, restaurantes e quadras poliesportivas.

Chuvas de abril 

O acumulado de chuvas em abril já ultrapassa em 31% o esperado para todo o mês. A média histórica é de 133,4 milímetros, e até o início da manhã de hoje, o nível de precipitações já estava em 174,8 mm. Ontem (12/3), o resultado foi de vias completamente alagadas pelo DF. As condições climáticas geraram engarrafamentos quilométricos, segundo informações do Centro de Comunicação da Polícia Militar. 
 
Na Estrada Parque Taguatinga (EPTG), por exemplo, motoristas e passageiros de ônibus chegaram a encarar trânsitos de até duas horas. Em Vicente Pires, a marginal da rodovia ficou completamente inundada pela água da chuva. O estacionamento do Base Atacadista ficou intransitável. Levou-se até 45 minutos para ultrapassar o trecho.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade