Publicidade

Correio Braziliense

Mourão e Sérgio Moro lançam operação de policiamento ostensivo no DF

DF terá mais de mil militares realizando diversas ações durante 24 horas. Conselho Nacional de Chefes da Polícia Civil também deflagrou inúmeras operações no país e na capital federal contra a criminalidade


postado em 24/04/2019 09:15 / atualizado em 24/04/2019 16:44

Lançamento da ação em Brasília ocorreu na Esplanada dos Ministérios e contou com a presença de membros do governo e das forças de segurança(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Lançamento da ação em Brasília ocorreu na Esplanada dos Ministérios e contou com a presença de membros do governo e das forças de segurança (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Forças de segurança nacional participam, nesta quarta-feira (24/4), de operações coordenadas em todo o país, incluindo o Distrito Federal, para promover policiamento ostensivo. Na capital federal, a ação, batizada de Operação Tiradentes, conta com cerca de 1,2 mil policiais e bombeiros, que farão, ao longo de 24 horas, fiscalizações e ações com foco na "prevenção e repressão imediata de crimes", como divulgou a Polícia Militar do DF. A Polícia Civil também deflagrou uma série de operações em todo o país.
 
A operação foi lançada nesta manhã, às 8h, na Esplanada dos Ministérios, em horário simultâneo aos eventos de outras unidades da Federação. A estratégia é uma iniciativa do Conselho Nacional de Comandantes-Gerais das Polícias Militares e dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil, que mobilizaram 90 mil servidores. Para as ações nacionais, foram empenhadas 30 mil viaturas, 500 embarcações e 90 aeronaves.
 
 

De acordo com a PMDF, as ações na capital federal serão em diversos pontos. "Executaremos as operações Álcool Zero e Transporte Pirata. Também teremos fiscalizações nas rodovias, policiamento ostensivo com grupos táticos ambientais, lacustres e operações no cerrado, além do policiamento ostensivo nos centros urbanos", divulgou a corporação, em nota.
 
O evento de lançamento contou com a presença do vice-presidente da República, Hamilton Mourão; do ministro da Justiça, Sérgio Moro; do secretário Nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo; do presidente do Conselho Nacional de Comandantes PM e CBM, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior; da comandante-geral da PMDF, coronel Sheyla; e do comandante-geral do CBMDF, coronel Carlos Emilson.
 
Ver galeria . 7 Fotos Divulgação/PC
(foto: Divulgação/PC )

 
Ainda na manhã desta quarta-feira (24), o Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil (CONCPC) coordenou a Operação P27, deflagrada nas 27 unidades da Federação do país. O objetivo das ações é combater a criminalidade. O nome da ação foi escolhida em referência à união e padronização de todas as polícias civis do Brasil. 

Operações no DF

No Distrito Federal, cerca de 100 agentes cumpriram mandados de prisão, busca e apreensão que foram expedidos pela Justiça, após intenso trabalho de investigação e inteligência de cada unidade das regiões administrativas da capital.

Segundo o delegado Robson Cândido, diretor da Polícia Civil do DF e atual presidente do CONCPC, as ações causam uma repercussão imediata. "Essa operação conjunta de todas as polícias civis gera um efeito imediato na sensação de segurança da população. Além disso, é muito importante que esses criminosos sejam retirados das ruas para que não voltem a delinquir”, salienta. 
 
Um homem acusado de estuprar, torturar e manter uma criança como escravo sexual foi preso preventivamente por agentes da 19ª Delegacia de Polícia (Setor P Norte). Ele fez ao menos três meninos vítimas dos abusos sexuais. O suspeito também tem um mandado de prisão em aberto por atentado violento ao pudor contra uma menina, expedido pela Justiça de São Paulo. 
 
A 23ª Delegacia de Polícia (Setor P Sul) cumpriu quatro mandados de prisões temporárias no Sol Nascente, na QNP e QNR, em Ceilândia. Os detidos são suspeitos de integrarem uma quadrilha especializada em desmanches de carros. Já na 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), quatro acusados por crimes na região administrativa foram presos. Um dos detidos tinha um mandado em aberto.  
 
Na 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), um "estelionatário do amor" acabou preso ao estorquir mais de R$ 75 mil de uma mulher, ao ameaçar divulgar vídeos íntimos dela. Conforme apuração dos agentes, o crime foi arquitetado pelo suspeito, que seduziu a vítima em um bate-papo da internet.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade