Publicidade

Correio Braziliense

Abuso sexual: Vítimas de pastor eram crianças, segundo a polícia

Os crimes aconteceram em 2014 e 2017, em Ceilândia e Brazlândia. À época, duas das vítimas tinham 11 anos e, a terceira, 12 anos


postado em 25/04/2019 16:46 / atualizado em 25/04/2019 17:23

As três vítimas de abusos sexuais praticados por um auxiliar de pastor evangélico de 49 anos, são crianças e, na época em que foram molestadas tinham 11 e 12 anos. O homem acusado pelo crime está preso desde a manhã desta quinta-feira (25/4). Ele foi capturado em Brazlândia, onde vivia.

Segundo os investigadores da 24ª Delegacia de Polícia (Setor O), duas vítimas foram estupradas em 2014, quando tinham 11 anos. A terceira tinha 12 anos na época dos fatos. Os delitos vieram à tona somente agora, quando a primeira criança, acompanhada dos pais, procurou a delegacia para denunciar o crime. 

"Na ocasião, o pastor convenceu a família da vítima a levar a menina para um monte de oração em Ceilândia. Para conseguir aprovação dos pais, ele alegou que a esposa (que faleceu) e a sogra dele também iriam", explica o delegado Thiago Pacheco. "Então, ele buscou a garota de carro e seguiu de Brazlândia até Ceilândia. Mas, aqui, ele deixou a mulher e a sogra na feira da cidade, seguindo sozinho com a vítima", acrescenta. 

No local, o suspeito e a menina participaram da oração em grupo. "No entanto, após essa reunião, os religiosos se dispersaram para pontos distintos do monte, para orações individuais. Foi nesse momento em que o auxiliar de pastor aproveitou para cometer o crime", afirma Thiago Pacheco.

O homem levou a garota para uma área de mato alto e, ali, a despiu. "A vítima ficou em estado de choque e não conseguiu reagir. Ele também tirou as roupas e praticou o crime", detalha o delegado. Conforme o depoimento da vítima e exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML), não ocorreu conjunção carnal. Para preservar as vítimas, Correio não detalhará detalhes do abuso.

Outras vítimas 

Após esta primeira vítima ter coragem para denunciar o religioso, agentes da 24ª DP iniciaram um trabalho para chegar a outras meninas abusadas sexualmente pelo acusado. E descobriram mais duas vítimas. Estes abusos aconteceram em Brazlândia, quando o homem ofereceu carona a elas, após conquistar a confiança dos pais delas. "Nesses dois casos, o homem não conseguiu finalizar os abusos, uma vez que as meninas conseguiram fugir", conta o delegado Pacheco.

A Justiça determinou a prisão do auxiliar de pastor após ser comunicada de que ele soube da investigação e procurou as vítimas a fim de coagi-las a mudarem as versões prestadas à 24a DP.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade