Publicidade

Correio Braziliense

Galpão em Águas Claras é fechado por funcionar como 'cassino clandestino'

O local era discreto e não chamava atenção, mas militares passaram a desconfiar de um movimento de pessoas e a circulação de carros como BMW e Corolla


postado em 23/05/2019 23:35 / atualizado em 23/05/2019 23:49

Máquinas de jogos de azar faziam vídeo-bingo(foto: Polícia Militar/Divulgação)
Máquinas de jogos de azar faziam vídeo-bingo (foto: Polícia Militar/Divulgação)
Um galpão que funcionava como casa de jogos de azar caiu na mira da polícia. Na noite desta quinta-feira (23/5), equipes da PM identificaram um imóvel na Área de Desenvolvimento Econômico (ADE) de Águas Claras com aproximadamente 80 máquinas de vídeo-bingo.  O local era discreto e não chamava atenção, mas militares passaram a desconfiar de um movimento de pessoas e a circulação de carros como BMW e Corolla. 

Ao entrarem no imóvel, os militares constataram a atividade ilícita. Um dos policiais que atendeu a ocorrência, sargento Leonardo Reis, contou que havia homens na porta como se estivessem fazendo a segurança do ambiente. "Quando entramos constatamos ainda 10 outras pessoas dentro do recinto", explicou.

Segundo o policial, a atividade não chamava atenção. "Trata-se de um local bem reservado, sem identificação, e um galpão aparentemente vazio. Os envolvidos faziam uma atuação bem discreta", observou.

Um homem que estava no local se identificou como o responsável e será encaminhado à 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul), assim como as máquinas localizadas. 

Mais cedo, sete máquinas usadas em jogos de azar foram apreendidas por policiais militares e civis. Os eletrônicos foram encontrados em uma casa no Cruzeiro. No momento das buscas, não havia ninguém no local e, por isso, não houve prisões. A 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro) investiga o caso e tenta identificar os envolvidos no possível esquema criminoso. 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade