Publicidade

Correio Braziliense

Homem saca arma durante briga de torcida e assusta passageiros do Metrô-DF

A confusão aconteceu dentro do vagão, no momento em que o trem chegava à estação Praça do Relógio, em Taguatinga Centro; ninguém foi preso


postado em 25/05/2019 14:20 / atualizado em 25/05/2019 14:41

(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

 

Uma briga entre torcedores do Botafogo e do Palmeiras, que jogam na tarde deste sábado (25/5) no Estádio Nacional Mané Garrincha, terminou em confusão em uma das estações do Metrô-DF. Um grupo de palmeirenses coagiu o seguidor do clube rival que, assustado, teria sacado uma arma na tentativa de afastar os agressores. A atitude provocou correria e assustou passageiros que estavam no vagão. Apesar do empurra-empurra, e do grande número de pessoas dentro do carro na hora do incidente, não houve feridos. 

 

A confusão aconteceu por volta das 10h25, ainda dentro do trem, quando ele chegava na estação Praça do Relógio, em Taguatinga Centro, sentido Central, na Rodoviária do Plano Piloto. Pelas câmeras de segurança do órgão é possível ver apenas diversas pessoas desembarcando, desesperadas, fugindo. Testemunhas contam que pensaram, em um primeiro momento, se tratar de um arrastão, hipótese descartada logo em seguida.

 

Na tentativa de fugir da confusão, alguns passageiros invadiram os trilhos do metrô, que precisaram ser desenergizados imediatamente. A linha ficou fechada por três minutos, mas o horário do funcionamento dos trens não foi afetado. 

 

O homem que sacou a arma não foi identificado e saiu da estação junto com os passageiros, que corriam assustados. Não há informações sobre a profissão dele, se era um policial, ou se tinha porte de arma. O grupo de palmeirenses também saiu do local às pressas.

 

Há na estação Praça do Relógio um dos pontos do Centro de Monitoramento de Segurança (CMS) do Metrô-DF, o que facilitou a agilidade dos funcionários do órgão na hora do tumulto, que foi dispersado rapidamente. Ninguém se feriu ou foi detido. 

 

Procurada pelo Correio, a Polícia Civil do Distrito Federal informou não ter registrado nenhuma ocorrência ligada ao fato. A Polícia Militar do DF disse que não foi acionada para atender nada relacionado à briga de torcedores nas estações do Metrô-DF. A Companhia do Metropolitano do Distrito Federal não se pronunciou até a última atualização desta reportagem.

 

Greve 

Funcionários da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal estão em greve desde o dia 2 de maio. Entre as reivindicações da categoria, estão a manutenção do acordo coletivo, que venceu em abril, além do cumprimento de sentenças judiciais como o reajuste dos salários dos servidores pelo Índice Nacional de Preços do Consumidor (INPC) e que o acordo para que a jornada de trabalho dos pilotos mude oficialmente de oito horas para seis horas diárias. 

 

Com a greve, o Metrô funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 6h às 8h45 e das 16h45 às 19h30. Nos horários de pico, ficam disponíveis 18 trens. Aos sábados, os trens rodam das 6h às 9h45 e das 17h às 19h15. Domingo, das 7h às 19h.

 

  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade