Publicidade

Correio Braziliense

Perícia indicará causa de acidente que matou operário em Águas Claras

Laudo sai em 30 dias. Andaime despencou do 5º para o 4º andar de um prédio em construção de Águas Claras. Homem de 60 anos morreu e outro, de 28, ficou ferido


postado em 12/06/2019 18:10 / atualizado em 12/06/2019 18:09

Acidente deixou um operário morto e outro ferido, na manhã desta quarta-feira(foto: Rodrigo Craveiro/CB/D.A Press)
Acidente deixou um operário morto e outro ferido, na manhã desta quarta-feira (foto: Rodrigo Craveiro/CB/D.A Press)

A perícia da Polícia Civil indicará o que ocasionou a queda de um andaime em um prédio em construção de Águas Claras. A platarforma despencou do quinto para o quarto andar. O acidente deixou um operário de 60 anos morto e outro, de 28, ferido. O resultado da análise sai em 30 dias. As principais causas de óbito nas construções são por queda de altura, soterramento e choque elétrico, respectivamente, segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-DF). 

 

O Sinduscon publicou nota lamentando a morte do trabalhador Juscélio Oliveira Dantas e prestou condolências aos amigos e familiares dele. A entidade afirmou que os operários utilizavam os equipamentos de segurança, como havia sido informado pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal.

 

O acidente desta quarta-feira (12/6) é o terceiro com vítima fatal na construção civil. Por conta da situação, o sindicato reitera a importância da segurança no trabalho. “Neste sentido, a atuação do sindicato acontece de forma cooperativa e instrutora, junto às empresas associadas, não lhe cabendo o papel de fiscalizar ou punir, uma vez que não possui poder de polícia”. 

 

A entidade também salienta o compromisso da Antares Engenharia, responsável pela obra, com as normas de segurança. “Todavia, o canteiro de obras é área de alto risco e qualquer empresa está sujeita a tal fatalidade, que mexe com todo o setor da construção civil”, finaliza o texto divulgado.

 

A Antares Engenharia informou que o acidente é apurado internamente e que a empresa colabora com as investigações do caso. “A empresa lamenta profundamente o ocorrido e ressalta que tem 34 anos de atividade, atuando sempre em obediência às regras de segurança do trabalho, sem nunca ter registrado uma fatalidade como essa”, destacou. 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade