Publicidade

Correio Braziliense

Motorista que arrastou idosa no asfalto acumula infrações desde 2014

Willian Weslei Lelis Vieira teve a Carteira Nacional de Habitação (CNH) suspensa em 13 de junho por embriaguez ao volante. Crime ocorreu dois dias depois


postado em 19/06/2019 17:46 / atualizado em 19/06/2019 17:50

Willian Weslei acumula infrações por embriaguez ao volante, excesso de velocidade, uso de celular ao volante e estacionamento irregular(foto: Reprodução)
Willian Weslei acumula infrações por embriaguez ao volante, excesso de velocidade, uso de celular ao volante e estacionamento irregular (foto: Reprodução)
Dois dias antes de arrastar uma vendedora de balões na porta de uma festa junina, em Taguatinga Sul, o empresário Willian Weslei Lelis Vieira, 34 anos, teve a Carteira Nacional de Habitação (CNH) suspensa. A punição foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal na quinta-feira (13/6) da semana passada. Apesar disso, a lei concede o prazo de 30 dias para ele entregar a documentação no Departamento de Trânsito (Detran) e começar a cumprir a regra, o que ocorrerá a partir de 13 de julho. 
 
Willian precisa ficar um ano sem assumir o volante. A CNH só volta a valer após o condutor passar por um curso de reciclagem. O processo que motivou a suspensão se refere a uma blitz de 16 de dezembro de 2016. O empresário foi parado por policiais militares no Sudoeste, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro. 
  
Em 4 de julho de 2018, o Diário Oficial do Distrito Federal também publicou uma suspensão da CNH do motorista por um flagrante de embriaguez em 12 de outubro de 2014, mas Willian recorre dessa primeira decisão e, por causa disso, não precisou entregar a CNH ainda. 

Essa não é a única infração de trânsito cometida pelo morador de Taguatinga. Desde 2014, ele acumula multas por excesso de velocidade, uso de celular ao volante e estacionamento irregular (Veja quadro). Apenas do início do ano até agora, Willian levou duas multas por parar o carro de forma irregular.

O Correio ligou para o advogado do acusado quatro vezes, mas Leonaldo Correia de Brito não atendeu em nenhuma das tentativas.

Investigação

Equipes da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro) concentram as investigações para ouvir testemunhas que viram Marina Izidoro de Morais, 63 anos, sendo arrastada por Willian. Nesta quarta-feira (19/6), uma das pessoas intimadas a depor não compareceu no horário marcado. 

O delegado-chefe da unidade, Josué Ribeiro, também insiste em procurar uma mulher que disse ter presenciado toda a ação. Ela fez a postagem do caso em uma rede social. “Por enquanto, não vejo necessidade ou justificativa de pedir a prisão do casal, até porque eles demonstraram pré-disposição para cooperar com o trabalho da polícia”, explicou.

Para o investigador, o motorista da Mercedez-Benz e a passageira do veículo tiveram a intenção de subtrair os balões. Agora, Josué Ribeiro procura provas para confirmar se o casal agiu com propósito de violência e se tinham consciência do ato. “É tênue a linha entre furto e roubo com a lesão que ocorreu posteriormente, durante o arrastamento da vítima no asfalto”, explicou.
 

Infrações acumuladas 

Veja as infrações cometidas pelo motorista acusado de arrastar a vendedora de balão por 100 metros

 
2014: duas autuações por excesso de velocidade, uma por uso de celular ao volante e outra por embriaguez ao volante

2015: duas autuações por excesso de velocidade

2016: uma autuação por excesso de velocidade, uma por estacionamento irregular e uma por alcoolemia (a que gerou o processo de suspensão)

2017: Não foi autuado 

2018: Não foi autuado

2019: Duas autuações por estacionamento irregular (do início do ano até agora)
 
Fonte: Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade