Publicidade

Correio Braziliense

Vizinho é preso suspeito de assassinar mulher e atear fogo em corpo

Crime ocorreu no Recanto das Emas. Segundo a Polícia Civil, autor do homicídio e vítima discutiam constantemente por propriedade dos barracos


postado em 16/07/2019 21:00 / atualizado em 16/07/2019 21:14

Policiais da 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas) concluíram que vizinho é autor do crime(foto: Reprodução)
Policiais da 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas) concluíram que vizinho é autor do crime (foto: Reprodução)
Investigadores da 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas) prenderam o homem suspeito de matar e atear fogo no corpo da vizinha, Rosilma dos Santos Oliveira, 45 anos, conhecida como Rosa. O cadáver foi encontrado na manhã desta terça-feira (16/7), em uma área da quadra 803 do Recanto das Emas. Policiais militares estiveram no local e desconfiaram de Raimundo Nonato Viana Torres, 49 anos. Ele foi conduzido até a 27ª DP e na unidade policial, após depoimento de testemunhas e indícios do crime, o homem ficou preso por homicídio qualificado com uso de meio cruel.

Segundo Fernando Andrade, delegado plantonista da 27ªDP e responsável pelo caso, o homem não confessou o crime, mas testemunhas relataram que a vítima e o suspeito moravam em barracos próximos e tinham discussões frequentes em razão da propriedade das estruturas. Vizinhos também contaram que os dois costumavam fazer uso de bebida alcoólica. "Na noite de ontem (segunda-feira) os dois discutiram e os indícios são de que Raimundo a matou", afirmou o investigador.

Ainda não há informações precisas da hora em que o assassinato ocorreu, mas, para o delegado, a vítima foi atingida em frente ao barraco onde morava e, posteriormente, arrastada para o local onde o corpo foi encontrado. "Lá, ele teria ateado fogo. Não sabemos como a vítima foi morta, mas no local do crime havia garrafas quebradas, pedaços de pau, entre outras coisas. O material foi todo recolhido e somente a perícia vai apontar as causas", esclareceu Fernando.

Em depoimento, Raimundo disse que não teria cometido o crime. "Ele alegou não ter sido ele, que não ouviu nada e que, quando acordou hoje cedo, ela estava morta, mas todos os relatos indicam que ele é o autor do homicídio", afirmou o investigador.
 
Contudo, para o delegado, o crime não configura feminicídio. "Não há nenhum indício de que o homicídio tenha sido motivado pela condição de gênero", pontuou. Raimundo está preso na 27ª DP e a previsão é de que ele seja transferido para a carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE) na quarta-feira (17/7). 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade