Publicidade

Correio Braziliense

Três suspeitos de estuprar e espancar mulher na Asa Norte são presos

Os três homens foram presos temporariamente. Eles foram vistos com a vítima em imagens de câmera de segurança. A vítima segue internada no Hospital de Base, em estado grave


postado em 17/08/2019 14:24 / atualizado em 17/08/2019 15:35

Momento em que mulher é socorrida pelos bombeiros, em matagal da Asa Norte(foto: CBMDF/Divulgação)
Momento em que mulher é socorrida pelos bombeiros, em matagal da Asa Norte (foto: CBMDF/Divulgação)
A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu três homens suspeitos de estuprarem e espancarem uma mulher de 41 anos, encontrada ferida e seminua em um matagal na L4 Norte, na última quinta-feira (15/8). Um laudo preliminar confirmou que houve violência sexual, conforme suspeitavam os agentes da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) que trabalham no caso. A vítima continua internada em estado grave no Hospital de Base. Por estar sedada, os policiais não conseguiram ainda conversar com ela.

Os detidos têm 22, 35 e 36 anos e foram presos temporariamente. Os investigadores chegaram aos suspeitos depois de analisarem imagens de câmera de segurança que mostram a mulher se encontrando com os homens na 216 Norte. Dali, acredita a polícia, seguiram até a uma região de mata, próxima à Estação Biológica da Universidade de Brasília (UnB).

"Os suspeitos confirmam que estavam com a vítima na quadra, mas negam que foram com ela até o matagal. Mas essa versão não bate, pois encontramos vestígios na área. Inclusive, o casaco de um deles estava lá", esclarece o delegado Laercio Rosseto, chefe da 2ª DP.

Conforme apuração policial, dois dos homens são catadores e um é morador da Asa Norte. "Sabemos que a vítima conhecia os homens, entretanto, ainda não estabelecemos a relação que tinham. Não podemos afirmar se eram amigos de longa data ou não. Nesta próxima fase da investigação, vamos tentar fechar esta lacuna", garante.

Drogas e pedrada

No dia do crime, aponta a apuração, o quarteto consumiu drogas e bebida alcoólica no matagal. O que motivou o espancamento e o estupro, contudo, ainda não foi esclarecido. A vitima foi agredida com cano de PVC e apedrejada. Peritos apreenderam uma pedra grande, utilizada nas agressões, que se rachou em decorrência da força utilizada. Havia sangue e couro cabeludo na pedra. 

Os homens ficarão detidos por 30 dias, enquanto ocorre a investigação. O período pode ser prorrogado. Os suspeitos poderão responder por estupro e tentativa de homicídio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade