Publicidade

Correio Braziliense

Funcionária do MEC, a advogada Letícia Curado Melo é encontrada morta

A jovem estava desaparecida desde a manhã de sexta-feira (23/8), quando saiu para trabalhar. Um cozinheiro está preso suspeito de envolvimento no crime


postado em 26/08/2019 15:40 / atualizado em 26/08/2019 21:49

A advogada Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, desaparecida desde sexta-feira (23/8), foi encontrada morta na tarde desta segunda (26/8) (foto: Divulgação/Redes sociais)
A advogada Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, desaparecida desde sexta-feira (23/8), foi encontrada morta na tarde desta segunda (26/8) (foto: Divulgação/Redes sociais)
A advogada Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, está morta. O corpo dela foi encontrado na tarde desta segunda-feira (26/8), confirmou ao Correio o marido dela, Kaio Fonseca Curado de Melo, 25 anos. Funcionária do Ministério da Educação (MEC), Letícia estava desaparecida desde a manhã de sexta-feira (23/8), quando saiu para trabalhar, por volta das 7h30, do bairro Arapoanga, em Planaltina, onde vivia com Kaio e o filho, de 3 anos. 
 
Por volta das 15h30 desta segunda, o pai e o marido de Letícia chegaram chorando à 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina), escoltados por policiais. Perguntado se tinha alguma informação sobre o caso, Kaio respondeu: "Mataram a minha mulher". O irmão chegou em seguida, também desesperado. Do lado de fora da unidade policial, era possível ouvir gritos de desespero e choro alto dos familiares. Menos de 10 minutos depois, uma equipe de investigadores deixou a delegacia com fita zebrada, a mesma usada para isolar locais de crime. 
 

Suspeito preso

Mais cedo, pela manhã, a Polícia Civil do Distrito Federal anunciou a prisão de um homem suspeito de participação no crime. O acusado é Marinesio dos Santos Olinto, 41 anos, um cozinheiro sem antecedentes criminais. Ele, a princípio, negou ter qualquer relação com o desaparecimento de Letícia. Mais tarde, no entanto, segundo os policiais, confessou ter assassinado a advogada, orientado por seus defensores.

Segundo os investigadores, imagens de segurança mostram o momento em que a jovem entrou no carro dele, na sexta-feira de manhã, em frente à parada de ônibus em que costumava pegar o ônibus para chegar ao trabalho. No sábado à noite, o carro do suspeito foi encontrado em via pública e, em seu interior, objetos que pertenciam à jovem, segundo o delegado-chefe da 31ª Delegacia de Polícia de Planaltina, Fabrício Augusto Machado.

Veja fotos de Letícia Curado Melo: 

Ver galeria . 7 Fotos Instagram/Reprodução
(foto: Instagram/Reprodução )


Mais vítimas

Após confessar o crime, Marinesio levou policiais até o local onde deixou o corpo da jovem, perto de uma estrada de Planaltina que leva ao Vale do Amanhecer. Ele também acabou confessando a morte da auxiliar de cozinha Genir Pereira de Sousa, 47 anos, em junho passado. Os dois crimes têm muitas semelhanças na forma como o assassino atuou.

Já na noite desta segunda-feira, uma terceira mulher foi à 31ª DP e reconheceu Marinesio como o homem que a atacou após oferecer carona a ela. Aos policiais, essa terceira vítima disse que sobreviveu porque conseguiu saltar do carro e correr. Para o delegado Fabrício Machado, o suspeito tem plena consciência dos seus atos e agiu com frieza quando foi interrogado, inclusive negando qualquer crime na primeira abordagem. O delegado pediu a prisão preventiva do acusado.

Galeria mostra os desdobramentos do caso:

Ver galeria . 7 Fotos A advogada e funcionária terceirizada do MEC Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, desaparece na sexta-feira 26/8. A última vez que a família a vê é quando ela sai para trabalhar, pela manhãInstagram/Reprodução
A advogada e funcionária terceirizada do MEC Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, desaparece na sexta-feira 26/8. A última vez que a família a vê é quando ela sai para trabalhar, pela manhã (foto: Instagram/Reprodução )



Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade