Cidades

Ponte JK ficará parcialmente interditada até esta quarta-feira

Placa da Ponte JK que se soltou e provocou a interdição de uma das pistas será substituída nesta quarta-feira. Novacap diz que estrutura não oferece riscos

Rayssa Brito*
postado em 03/09/2019 20:31
 (foto:  Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

Descolamento da placa tornou inviável o tráfego por uma das pistas, no sentido Lago SulA Ponte JK deve ficar parcialmente interditada até esta quarta-feira (4/9), informou a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap). Após uma análise, técnicos da empresa pública informaram que uma das placas que cobrem as juntas de dilatação precisará ser trocada. A substituição, segundo eles, deve ocorrer nesta quarta-feira, embora não tenha sido informado o horário que o conserto deve ocorrer.

Em nota, a Novacap informou que a placa de ferro se soltou devido à vibração causada pelo tráfego de veículos. De acordo com a empresa, alguns parafusos que prendem as juntas de dilatação ao tabuleiro ficaram frouxos, o que causou o desprendimento.

A placa se soltou no meio tarde, o que levou alguns motoristas a acionar a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Uma das pistas, no sentido da Asa Sul para o Lago Sul, foi interditada. Rapidamente, um engarrafamento se formou.

Por volta das 20h15, o trânsito continuava lento na região. A motorista Mariana Brasil, 40 anos, foi uma das que ficou presa no engarrafamento. "Passo por aqui diariamente. Acho que nunca tinha me atentado a isso. Agora que aconteceu, é necessário cobrar as autoridades", disse.

Ponte é segura, garante Novacap

Algumas pessoas demonstraram medo em passar pela ponte. O garçom Gabriel Carvalho, 22 anos, disse não se sentir protegido ao passar pelo local. "De todo jeito, preciso passar, seja de carro ou de ônibus", disse o jovem, que relembrou o desabamento do viaduto do Eixão, no ano passado.

Apesar do receio, os técnicos da Novacap garantem que a ocorrência não oferece risco, e o trânsito de veículos será mantido, com exceção da pista interditada. Uma licitação será realizada ainda este mês exclusivamente para substituir as juntas de dilatação danificadas.

Após a queda do viaduto do Eixão Sul, em fevereiro de 2018, o Governo do Distrito Federal (GDF) anunciou uma série de reformas, reparos e construções de obras públicas. Entre elas, estava a Ponte JK. A manutenção estava prevista ao custo de R$ 31 milhões e com expectativa de durar um ano e meio.

A justificativa para a obra era ;manter o bom estado; da estrutura e impedir que ela chegasse ao estado de deterioração do viaduto que ruiu. Para isso, a Novacap elaborou um projeto de reforma. Entre as ações estava a troca do asfalto e das juntas de dilatação, além de revisão da parte elétrica e dos blocos de concreto submersos.

A promessa também consistia na criação de uma área embaixo da ponte para fazer vistorias e manutenções com mais agilidade.

*Estagiária sob supervisão de Humberto Rezende

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação