Publicidade

Correio Braziliense

Batalhão Ambiental resgata jiboia dentro de carro na Ponte JK

De janeiro a agosto deste ano, a polícia ambiental resgatou 458 cobras em todo o Distrito Federal


postado em 13/09/2019 09:23 / atualizado em 13/09/2019 10:12

A jiboia estava dentro de um carro. A motorista percebeu a presença da cobra quando passava pela Ponte JK na noite de quinta-feira (12/9)(foto: BPMA/Divulgação)
A jiboia estava dentro de um carro. A motorista percebeu a presença da cobra quando passava pela Ponte JK na noite de quinta-feira (12/9) (foto: BPMA/Divulgação)
O Batalhão da Polícia Militar Ambiental (BPMA) resgatou uma jiboia que estava dentro de um carro. Quando passava pela Ponte JK, a motorista percebeu a presença da cobra e pediu socorro para a corporação, por volta das 20h de quinta-feira (12/9). À polícia, a dona do veículo contou que dirigia sentido Paranoá quando viu a cobra dentro do veículo. Imediatamente, estacionou e ligou para a Polícia Militar, que foi até o local e resgatou o animal. 

A cobra foi levada para a sede do batalhão ambiental e, depois, encaminhada para o Centro de Triagem de Animais Silvestres do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Cetas-Ibama), onde passou por avaliação.

De janeiro a agosto deste ano, a polícia ambiental resgatou 458 cobras em todo o DF. Somente em 21 de maio deste ano, a corporação resgatou cinco serpentes no Park Way. O Batalhão ambiental orienta que, caso algum cidadão encontre qualquer tipo de animal silvestre, não deve tentar capturar ou isolar o bicho.
 
Se ele aparecer dentro de casa, o isolamento pode ser feito em algum cômodo do imóvel, no entanto, a porta deve permanecer fechada e o contato com o bicho evitado. Se o animal estiver em campo aberto, a orientação é verificar para onde ele está indo.
 
Em seguida, é só ligar para o batalhão e indicar qual direção o animal tomou. "O Batalhão Ambiental chega o mais rápido possível com equipamento adequado para preservar a todos”, reforçou o major Souza Júnior.

Onde pedir ajuda?

O telefone para denúncias é (61) 9 9351-5736.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade