Publicidade

Correio Braziliense

Distrito Federal volta a bater o recorde de calor em 2019: 35,9°C no Gama

A umidade do ar chegou a 10%, o mesmo percentual registrado na quinta-feira (19/9), quando a Defesa Civil colocou a capital federal em estado de emergência


postado em 20/09/2019 15:18 / atualizado em 20/09/2019 17:04

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

A expectativa do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para esta sexta-feira (20/9) se confirmou. Os termômetros marcaram 35,9°C no Gama, o que representa o dia mais quente do ano no Distrito Federal. No Plano Piloto, às 15h, a temperatura estava em 34,3°C.

De acordo com a meteorologista Naiane Araújo, a umidade do ar registrada foi a mesma da quinta-feira (19/9) quando a Defesa Civil colocou a capital do país em estado de emergência: 10%. A especialista diz que a previsão de chuva continua somente para os últimos dias do mês.

Além do calor que tomou conta da rotina dos brasilienses, os moradores do Distrito Federal se depararam com uma mudança no céu nesta sexta-feira (20/9). Ausência de nuvens e névoa seca — um aspecto semelhante à fumaça — puderam ser vistos na parte central de Brasília desde o início da manhã.


"Eu estou achando o céu embaçado. Como se tivesse uma nuvem cinza", comenta a moradora do Riacho Fundo Melissa Cristine de Oliveira, 41 anos. "Está azul, mas parece que tem uma névoa de queimado. Está estranho", completa a feirante. Para ela, que nasceu no Distrito Federal, 2019 é o ano mais quente e seco da história. "A gente está para morrer, né?", brinca. A mudança no céu também chamou a atenção do artista de rua Cláudio André, 46. "Deu para estranhar. Muito escuro, muito preto. É o clima e a poluição, querendo ou não a poluição ajuda a dar essa secura", diz. 

 

Segundo o meteorologista Heráclio Alves do Inmet, a sensação de fumaça no céu é decorrente da névoa seca. "Nada mais é do que a baixa umidade somada à fumaça, poeira e fuligem. É muito comum nesta época do ano, e isso se agrava, principalmente, pela mistura dos poluentes", afirma.


Ainda de acordo com Heráclito, a névoa seca e as altas temperaturas devem prevalecer na próxima semana. "O que muda é o vento, ou a chuva. Como o vento é forte e não tem previsão de chuva no fim de semana, a tendência é continuar nesse mesmo aspecto claro e de névoa seca", argumenta. A temperatura mais alta do ano havia sido registrada a quinta-feira (19/9), quando os termômetros marcaram 35,7ºC. Para esta sexta-feira, a previsão era que algumas regiões alcancem a casa dos 36ºC.

 

Estado de Alerta 

Devido à baixa umidade do ar, a Defesa Civil retomou o estado de emergência no Distrito Federal, e recomenda alguns cuidados que devem ser tomados pela população. Entre eles, está o aumento do consumo de água, e que se evite fazer atividades físicas ao ar livre durante os períodos mais quentes: no meio da manhã e da tarde.

Para amenizar os problemas respiratórios é preciso manter a casa ventilada. Para compensar a falta de água no ar, a recomendação é espalhar toalhas molhadas pela residência, principalmente nos quartos durante a noite.

 

*Estagiária sob supervisão de Roberto Fonseca

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade