Publicidade

Correio Braziliense

Ao menos duas pessoas morrem afogadas no DF neste domingo

Bombeiros prestaram socorro nas duas situações. Casos aconteceram no Lago Paranoá e no rio São Bartolomeu


postado em 13/10/2019 21:50 / atualizado em 13/10/2019 21:50

Pescador tentava soltar rede presa no fundo do rio quando se afogou(foto: Divulgação / CBMDF)
Pescador tentava soltar rede presa no fundo do rio quando se afogou (foto: Divulgação / CBMDF)
Mais duas pessoas foram vítimas de afogamento no fim de semana. Neste domingo (13/10), um homem de 43 anos morreu no rio São Bartolomeu, no km 23 da BR-251, região de São Sebastião. O acidente aconteceu por volta de 15h.

 

Eziel Sousa Bonfim estava com a família, pescando com tarrafa, um tipo de rede, quando o objeto ficou preso no fundo do rio. Ele pulou na água e mergulhou duas vezes na tentativa de soltar a rede. Na terceira vez, no entanto, não retornou à superfície. 
 
Testemunhas acionaram o Corpo de Bombeiros para o resgate. A corporação mobilizou 25 militares e 5 viaturas, além do helicóptero. Após 40 minutos, os mergulhadores conseguiram encontrar o corpo do pescador, já sem sinais vitais. Após exame, a médica da aeronave confirmou o óbito. 
 
No mesmo dia, um homem de 37 anos morreu no Lago Paranoá. Ele nadava próximo ao Clube do Rocha, no Trecho 2 do Setor de Clubes Sul, quando se afogou. Os bombeiros prestaram socorro e passaram mais de uma hora tentando reanimar a vítima, mas sem sucesso.
 
Segundo o sargento Leal, do Batalhão Turístico, testemunhas disseram que o homem tinha problemas de saúde, mas não especificaram quais. “Na época de calor, aumenta muito o número de usuários (no lago) e, consequentemente, de acidentes”, destaca.

Morte em cachoeira

No sábado (12/10), um homem de 33 anos morreu depois de se afogar em uma cachoeira na Reserva Biológica da Contagem, em Sobradinho. Bruno Chaves de Carvalho se divertia com amigos quando, segundo as testemunhas, sumiu. Momentos depois, foi encontrado submerso.
 
Aos oficiais, os amigos da vítima relataram que consumiam bebidas alcoólicas há muito tempo, mas que não imaginavam que a diversão acabaria em tragédia. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade