Publicidade

Correio Braziliense

Marido decide colaborar com polícia em investigação da morte de Noélia

Marcos Paulo, marido de Noélia, é tratado como suspeito, segundo o advogado dele, Geraldo Madureira. O caso é apurado como feminicídio


postado em 19/10/2019 12:22 / atualizado em 19/10/2019 12:31

Caso é investigado pela 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires), que realiza diligências neste sábado (19)(foto: Emilly Behnke/CB/D. A Press)
Caso é investigado pela 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires), que realiza diligências neste sábado (19) (foto: Emilly Behnke/CB/D. A Press)
As investigações da morte da vendedora Noélia Rodrigues de Oliveira, 38 anos, continuam neste sábado (19/10). O marido de Noélia, Marcos Paulo Mendes Santana, de 42 anos, decidiu colaborar com as investigações e nega qualquer envolvimento com o crime. Segundo Geraldo Madureira, advogado de Marcos Paulo, o cliente colabora com a polícia, pois foi "tratado como suspeito".

A vendedora foi encontrada morta na manhã desta sexta-feira (18), após ter desaparecido na noite anterior quando saía do trabalho, na Asa Norte. Segundo a polícia, equipes realizam diligências nas ruas relacionadas ao caso, que continua sendo tratado como feminicídio. 

O advogado completa que foi o próprio Marcos que sugeriu a ida da polícia até a casa em que morava com Noélia e os dois filhos, localizada no Sol Nascente.

O carro, a moto e as roupas usadas por Marcos Paulo na noite do desaparecimento foram cedidos para a perícia da polícia. Ele foi ouvido pelos investigadores por mais 3h. “Carro e moto estão apreendidos, foram trazidos para a delegacia e estamos analisando”, explicou Adriana Romana, delegada-chefe da 38ª Delegacia de Polícia (Vicente Pires), que investiga o caso.

O marido mostrou aos investigadores o trajeto que costumava fazer com Noélia quando a buscava na parada de ônibus, após ela sair do trabalho. “Ele autorizou tudo e colabora para tirar essa nuvem de dúvida”, disse Madureira.
 

Entenda o caso


Noélia desapareceu na quinta-feira (17/10) após sair do trabalho, em um shopping na Asa Norte. Ela foi encontrada sem vida com uma marca de tiro na cabeça na manhã seguinte, em uma área isolada da Colônia Agrícola 26 de Setembro, próximo a Vicente Pires. A família chegou a registrar a ocorrência do desaparecimento na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central). O corpo foi reconhecido pelo marido, após ser avisado pela polícia. O crime é investigado como feminicídio por se tratar da morte violenta de uma mulher.
 
Noélia estava casada havia mais de 10 anos com Marcos Paulo, com quem tem dois filhos, uma menina, de 9 anos e um menino, de 5 anos. A vendedora também é mãe de um adolescente de 16 anos, fruto de relacionamento anteror, que mora com o pai. 
 
Caso seja confirmado, o caso será a 27ª corrência de feminicídio no Distrito Federal em 2019. 
 

Onde procurar ajuda

 
Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência — Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República
Telefone: 180 (disque-denúncia)

Centro de Atendimento à Mulher (Ceam)
» De segunda a sexta-feira, das 8h às 18h
» Locais: 102 Sul (Estação do Metrô), Ceilândia, Planaltina

Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam)
» Entrequadra 204/205 Sul - Asa Sul
(61) 3207-6172

Disque 100 — Ministério dos Direitos Humanos
Telefone: 100

Programa de Prevenção à Violência Doméstica (Provid) da Polícia Militar
Telefones: (61) 3910-1349 / (61) 3910-1350

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade