Publicidade

Correio Braziliense

Grupo que estava desaparecido na Chapada é encontrado por bombeiros

Entre os desaparecidos, estavam ao menos dois moradores do Distrito Federal. Militares de Goiás conseguiram achar o grupo sobrevoando a região. Ainda não há informações sobre o que aconteceu e nem o estado de saúde deles


postado em 22/10/2019 11:02 / atualizado em 22/10/2019 12:53

Os bombeiros fizeram força-tarefa para encontrar o grupo desaparecido(foto: CBMGO/Divulgação)
Os bombeiros fizeram força-tarefa para encontrar o grupo desaparecido (foto: CBMGO/Divulgação)
O Corpo de Bombeiros de Goiás localizou as cinco pessoas, entre elas dois moradores do Distrito Federal, que estavam desaparecidas na Chapada dos Veadeiros. Os militares os procuravam desde a manhã de segunda-feira (21/10) com auxílio de cães farejadores e guias voluntários. Na manhã desta terça-feira (22/10), os militares sobrevoaram a região e conseguiram visualizar o grupo. Os bombeiros pousaram em um local seguro e fizeram uma trilha até eles.

Entretanto, ainda não há informações sobre o estado de saúde deles e o que teria levado o grupo a se perder. “Aparentemente o estado de saúde deles é bom, mas ainda é preciso fazer uma análise e, por isso, eles serão encaminhados ao hospital municipal da cidade”, afirma o tenente-coronel Fernando Caramaschi, assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros de Goiás.
 
O grupo ainda não chegou ao posto de comando da corporação, que fica no aeroporto de Alto Paraíso (GO). “Estamos aguardando a chegada deles. Tem demorado um pouco, mas é justamente porque a aeronave pousou em um local distante de onde eles estavam efetivamente. Então, nosso grupo está conduzindo o grupo por via terrestre mesmo - trilhas -, até a aeronave”, completa Fernando Caramaschi.
 
Entre os desaparecidos, estavam os brasilienses Maria de Cássia Ferreira Sanches, 51 anos e Gustavo Bacelar. Eles saíram de Brasília em direção a Alto Paraíso (GO) na madrugada de sexta-feira (18/10) com objetivo de percorrer o trajeto conhecido como Travessia Leste e concluir o percurso no domingo (20/10), na Cachoeira do Dragão.  

Quatro dos resgatados chegam à aeronave do Corpo de Bombeiros. Entre eles, Maria de Cássia e Gustavo Bacelar(foto: CBMGO/Divulgação)
Quatro dos resgatados chegam à aeronave do Corpo de Bombeiros. Entre eles, Maria de Cássia e Gustavo Bacelar (foto: CBMGO/Divulgação)
Entretanto, segundo ocorrência registrada por familiares de Maria Cássia, a mãe deixou o carro estacionado em uma pousada, no centro da cidade, e seguiu para a trilha a pé por volta das 7h30 de sexta-feira. "Ela é uma cliente antiga e não queria deixar o carro na rua. Então, pediu para eu guardar aqui, porque o estacionamento é amplo e fechado", diz a dona da pousada, que não quis se identificar. 

O Correio apurou que o grupo deixou o local sem guia. O roteiro do trekking previa que, ao fim da trilha — na Cachoeira do Dragão — Maria de Cássia, Gustavo e os demais integrantes se encontrariam, às 8h30 de domingo, com um profissional contratado para auxiliá-los no restante do caminho. No entanto, o guia teria chegado às 9h ao local e esperado por cerca de uma hora, sem que o grupo aparecesse. 

Resgate 

A equipe que sobrevoava o local avistou a fumaça de uma fogueira feita pelo grupo. O que ajudou os militares a encontrar os desaparecidos. “Não conseguimos pousar no local, então descemos em um lugar um pouco mais distante e estabelecemos uma trilha até onde o grupo estava”, afirma o tenente-coronel Fernando Caramaschi, assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros de Goiás.

De acordo os militares,  o contato com a tripulação do helicóptero foi perdido pouco após avistarem o grupo. “Estamos tentando reestabelecer a comunicação com nossa equipe de resgate”, explica Caramaschi. Maria de Cássia Sanches, Gustavo Bacelar e outras três pessoas identificadas como Mauro César, Aline Ferreira e Juliana Silva foram encontrados próximos a Cachoeira do Dragão, local estabelecido como fim da trilha. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade