Publicidade

Correio Braziliense

Corpo de cadeirante morto em latrocínio é velado em Planaltina (GO)

Frei Rogério Soares, da Paróquia Nossa Senhora da Mercês, foi o responsável por guiar a cerimônia, que reuniu cerca de 50 pessoas


postado em 30/10/2019 18:32

"Esperamos que a morte dele sirva de exemplo às autoridades, para que elas olhem com cuidado pela nossa segurança", disse o Frei Rogério Soares (foto: Sarah Peres/CB/D.A Press)
"Marcilio era um anjo entre nós. Um exemplo de católico devoto, apaixonado pela palavra de Deus. Esperamos que a morte dele sirva de exemplo às autoridades, para que elas olhem com cuidado pela nossa segurança." Este foi o apelo inicial do Frei Rogério Soares, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e Nossa Senhora das Mercês, durante o velório do cadeirante Marcilio Pereira da Silva Neto, 57 anos, na tarde desta quarta-feira (30/10).

Cerca de 50 pessoas, entre familiares e amigos, se reuniram para o útlimo adeus a Marcilio, no cemitério de Planaltina de Goiás. A cerimônia foi marcada por choro e pedidos de justiça pelo crime bárbaro. O homem foi assassinado com um tiro no peito, durante um assalto a ônibus, na BR-020, em Sobradinho. O caso ocorreu na manhã de terça-feira (29/10).

Marcilio estava em um ônibus da linha 640.2 (Rodoviária de Planaltina-DF para a W3 Norte/Sul). Ele seguia para a missa das 12h15, na Paróquia Santuário São Francisco de Assis, na 915 Norte, como conta a irmã dele, Francisca Pereira da Silva.

"Meu irmão era um católico devoto, todos os dias, com exceção das quintas, ele ia para a igreja. Ele era uma pessoa de bom coração, que não merecia, jamais, ter um fim como esse. A dor e o vazio são grandes. Mas sei que Deus nos ajudará a seguir em frente, nos trazendo conforto. Ele está nos braços do Pai", lamenta.

A todo momento, os presentes pediam justiça pelo crime. "Esperamos, agora, que o culpado seja preso. Foi um ato covarde, que não pode ficar impune", acrescenta Francisca.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade