Publicidade

Correio Braziliense

PMs encontram parte de corpo em decomposição na QR 325 de Samambaia Sul

Material foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) para análise e identificação. A suspeita é de que ele tenha relação com o caso do vigilante Marcos Aurélio Rodrigues de Almeida, assassinado e esquartejado no último sábado (9/11)


postado em 16/11/2019 17:57 / atualizado em 16/11/2019 18:19

Parte do corpo estava em meio a lixo jogado a céu aberto(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Parte do corpo estava em meio a lixo jogado a céu aberto (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Policiais Militares encontraram um osso, aparentemente humano, atrás da Escola Classe 325 de Samambaia Sul. A peça, que se assemelha ao fêmur de um adulto, foi achada em meio ao lixo por volta das 9h deste sábado (16/11). A suspeita é de que ela tenha relação com o caso do vigilante Marcos Aurélio Rodrigues de Almeida, 32 anos, assassinado e esquartejado no último sábado (9/11). Investigadores ainda buscam partes do corpo da vítima.

Enquanto três PMs patrulhavam a quadra, um forte cheiro chamou a atenção. Ao se aproximarem da possível origem do odor — uma área de despejo de lixo —, o grupo notou a presença de cães no local, próximos a um saco preto. No interior da sacola, os militares acharam um osso, em estado de putrefação e ainda com partes de tecido agregado.

O sargento Márcio Silva, da equipe do 11º Batalhão de Polícia Militar (que monitorava a área), comentou que, pelo tamanho, o osso deve ser de uma pessoa adulta. "Como estávamos de olho nessa situação (do assassinato de Marcos Aurélio), fomos checar. (Em volta,) tinha lixo jogado, entulho, cachorros xeretando. Ao encontrarmos (o saco plástico), informamos o fato à Polícia Civil e eles assumiram o local", detalhou.

Ponto de tráfico

Dois agentes da 32ª Delegacia de Polícia (Samambaia Sul) estiveram na QR 325 e acionaram uma equipe do Instituto de Medicina Legal (IML) para recolher a peça. Os trabalhos duraram cerca de uma hora e o material foi levado pelos peritos para análise e identificação. O resultado sai em até 30 dias. A reportagem tentou contato com a família de Marcos Aurélio e com o delegado Fernando Rodrigues, à frente das investigações, mas não foi atendida.

Apesar de o bairro ser considerado tranquilo por moradores, a região onde o osso foi encontrado costuma ser ponto de desmanche de carros, segundo o sargento Márcio Silva. "Às vezes, aparecem veículos abandonados, e também é uma área com muito tráfico de drogas. Mas, por ser perto da escola, é um ponto bem urbano e tem passagem de pedestres. Só é mais vulnerável para passar à noite", completou.

Crueldade

Marcos Aurélio foi assassinado no último sábado (9/11), quando saía do trabalho, em um restaurante do Setor de Indústrias Gráficas (SIG), para encontrar a ex-namorada. A suspeita é que a vítima tenha sido morta e depois esquartejada. A policia encontrou partes do corpo dele em diferentes locais de Samambaia.

A ex-namorada dele e um comparsa estão presos desde a noite de terça-feira (12/11). O mandado de prisão temporária para os investigados tem a duração de 30 dias. Eles foram encaminhados na manhã de quarta-feira (13/11) para o Departamento de Controle e Custódia de Presos, no Complexo da Polícia Civil, no Parque da Cidade.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade