Publicidade

Correio Braziliense

Bombeiros retomam buscas por brasiliense na Chapada dos Veadeiros

Buscas pelos rios da região foram paralisadas na manhã desta terça-feira (3/11), em função das chuvas no local, e retomadas no começo da tarde


postado em 03/12/2019 15:47 / atualizado em 05/12/2019 08:17

Bombeiros de Goiás retomaram, no início da tarde desta terça-feira (3/11), as buscas pelo analista de sistemas Jacob Vilar Santana, 31 anos, na Chapada dos Veadeiros (GO)(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
Bombeiros de Goiás retomaram, no início da tarde desta terça-feira (3/11), as buscas pelo analista de sistemas Jacob Vilar Santana, 31 anos, na Chapada dos Veadeiros (GO) (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
O Corpo de Bombeiros de Goiás (CBMGO) retomou, no ínicio da tarde desta terça-feira (3/12), as buscas pelo analista de sistemas Jacob Vilar Santana, 31 anos, na Chapada dos Veadeiros. O brasiliense, que mora temporariamente em São Paulo por causa do trabalho, está desaparecido desde o último domingo (1/12), após uma cabeça d'água no Vale da Lua, região de Alto Paraíso (GO)

As buscas pelos rios da região foram paralisadas na manhã desta terça-feira (3/12) em função das chuvas no local. No entanto, os militares continuaram a procura por Jacob por terra. As operações foram totalmente retomadas pela corporação no início da tarde. 

De acordo com o tenente-coronel Fernando Caramaschi, do CBMGO, quando acontecem chuvas fortes, o local fica muito perigoso. “As buscas não foram suspensas, e sim paralisadas temporariamente, até que o local ficasse mais seguro. A gente tira nossas equipes. Mas, assim que possível, elas sempre retornam. As buscas continuam”, afirma Caramaschi.

Uma aeronave e um caminhão de abastecimento de combustível do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) estão a caminho da Chapada para ajudar nas operações. Ao todo, sete militares da corporação do DF se dirigem até a região de Alto Paraíso (GO). A partir desta quarta-feira (3/12), os bombeiro goianos também devem contar com o auxílio de uma aeronave da Secretaria de Segurança Pública de Goiás para resgatar o brasiliense.

Colete

Voluntários que buscam por Jacob encontraram, no fim da tarde de segunda-feira (2/12), o colete usado por ele, no momento em que foi surpreendido pelo aumento do volume do rio. O equipamento de segurança foi achado, em um trecho próximo de onde Jacob foi visto pela última vez, no último domingo (1/12). 

Lugar conhecido 

À reportagem, a jornalista Janaína Figueiredo, amiga de Jacob, afirmou que ele costuma ir à região e conhece bem o local. Foi Janaína quem levou o brasiliense, pela primeira vez, ao Vale da Lua, há cerca de quatro anos. “Ele está acostumado a fazer trilhas. Já foi até o Vale várias vezes. É um lugar que ele gosta muito. Justamente por isso, trouxe a namorada para apresentar a Chapada”, disse.

Após saber que voluntários encontraram o colete usado por Jacob, Janaína acredita que verá o amigo novamente, em breve. “Agora, a gente se agarra nessa esperança de que vão encontrá-lo. Já tem mais de 48 horas. Ele pode estar ferido, ou com fome. Mas o fato de encontrarem o colete reacendeu as esperanças. Pode ser que ele tenha conseguido”, acredita a jornalista. 

Desaparecimento

Jacob e a namorada estavam com um grupo de amigos, quando foram surpreendidos pelo aumento repentino do volume da água, no Vale da Lua, na Chapada dos Veadeiros, em Goiás.

A namorada de Jacob também foi levada pela correnteza, mas conseguiu se segurar em uma pedra e ser resgatada pelos amigos com uma corda. O acidente aconteceu no fim da tarde de domingo (1º/12).

Casos anteriores

Em 27 de novembro, o corpo do brasiliense Matheus Santos da Silva, 23 anos, foi encontrado próximo a uma cachoeira no Rio Preto. O jovem foi fazer uma trilha com seus familiares no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros dois dias antes, e foi à frente do grupo. Matheus não chegou ao ponto combinado com os parentes, que após três horas de espera, retornaram ao início da trilha para procurar o jovem. 

A equipe da empresa responsável pelo local encontrou um chinelo na água, em um ponto chamado Poço do Salto 80. A sandália foi reconhecida pela família como sendo a vítima e os militares iniciaram a busca próximo ao local, após encontrarem o outro chinelo. 
 
Em fevereiro deste ano, um estudante universitário do Rio de Janeiro também morreu após ser arrastado para um sumidouro na Cachoeira das Cariocas, dentro do Parque Nacional da Chapada dos VeadeirosDaniel Chagas Dalpian, 22, viajou com um grupo de amigos e não voltou à superfície após o acidente. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade