Publicidade

Correio Braziliense

'Abaixo do que realmente é devido', diz Ibaneis sobre aumento no transporte

Segundo o governador, déficit deixado no orçamento da mobilidade pelos governos anteriores não deve ser encerrado agora. O valor reajustado ainda é inferior ao necessário.


postado em 14/01/2020 18:11 / atualizado em 14/01/2020 18:13

(foto: Agatha Gonzaga/CB/DA.Press)
(foto: Agatha Gonzaga/CB/DA.Press)
Na primeira agenda pública do ano, o governador Ibaneis Rocha (MDB) falou sobre a tarifa aplicada ao transporte público que começou a vigorar nesta semana. De acordo com Ibaneis, as contas da área de mobilidade possuem débitos não solucionados de gestões anteriores, o que faz necessário o reajuste aplicado no valor das passagens. 

“No ano passado, nós quase não conseguimos fechar as contas do transporte no fim do ano. Tivemos que fazer modificações, tirando de outros lugares para pagar as empresas, caso contrário elas não teriam como pagar o 13º. Então é um ajuste necessário e que está bem abaixo do que seria realmente devido, mas é o que nós precisamos para equilibrar as contas”, afirmou. 

O chefe do Executivo deu a declaração durante cerimônia de assinatura de autorização do início das obras do Túnel Rodoviário de Taguatinga, na Praça do Relógio, nesta terça-feira (14/1).
 

Manifestação 

Também nesta terça-feira, está marcado um protesto contra o aumento da tarifa do transporte público. De acordo com o Movimento Passe Livre (MPL), organizador da mobilização, a concentração está programada para acontecer na Praça do índio na (703/704 Sul).

A manifestação acontece um dia após começar a vigorar o aumento de 10% no valor das passagens de ônibus e de metrô de todas as linhas. Bilhetes que custavam R$ 5 passaram para R$ 5,50. Ônibus de R$ 3,50 agora custam R$ 3,85, e os de R$ 2,50 foram para R$ 2,75. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade