Publicidade

Correio Braziliense

Ibaneis: Nova licitação de transporte sairá até o fim do ano

Segundo Ibaneis, má qualidade dos ônibus é devido a falhas em antigas licitações do serviço


postado em 22/01/2020 14:12 / atualizado em 22/01/2020 14:14

O governador Ibaneis Rocha (MDB) fez declarações sobre o transporte público do Distrito Federal durante o lançamento de um novo programa de empréstimos do Branco de Brasília (BRB)(foto: Alan Rones/ Divulgação BRB)
O governador Ibaneis Rocha (MDB) fez declarações sobre o transporte público do Distrito Federal durante o lançamento de um novo programa de empréstimos do Branco de Brasília (BRB) (foto: Alan Rones/ Divulgação BRB)
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), teceu críticas ao transporte público do Distrito Federal na manhã desta quarta-feira (22/1). Ao participar da cerimônia de lançamento do programa de microcrédito do Banco de Brasília, Ibaneis reafirmou que os problemas estruturais do Distrito Federal são decorrentes da má gestão de antigos governadores, citando a qualidade de ônibus e do metrô no DF.

Como uma das ações para corrigir o problema, ele afirmou que o governo vai preparar uma nova licitação para a contratação de ônibus. A expectativa é que as novas normas estejam definidas até o fim do ano.

“Nós estamos estamos preparando a licitação para ser lançada até o fim do ano, para que a gente tenha até o fim do contrato todas as discussões e audiências públicas. Tudo será feito com transparência”, declarou o governador. O novo texto, ainda em discussão pelo governo, visa substituir contratos que vencem em dois anos.

“Temos que pensar em como será feito. Aqui em Brasília a licitação é feita de forma diferente, por quilômetro rodado. Então tudo tem que ser pensado”, antecipou.

Segundo Ibaneis, o problema no transporte é decorrente do trabalho de outros governadores durante os 10 anos que o antecederam. “É fácil criticar o transporte público porque realmente não presta. Mas onde eles estavam quando se fez a licitação ruim? Quem fez essa licitação não fui eu. Quem inventou a tarifa técnica não fui eu”, declarou. O governador também disse não concordar com a gratuidade do transporte para estudantes: "Quando eu estudava na cidade, eu era pobre e pagava 30% da tarifa. Não fui eu que inventei o passe livre”.
 
Ibaneis ainda criticou a estrutura da Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF), e disse que trabalha na expansão de novas estações nas regiões de Ceilândia e Samambaia. "Temos um metrô que não funciona desde que foi criado, que não passa por reformas nem por avanços desde a sua constituição, já foi colocado desde o início vagões que haviam sido descartados em São Paulo e, de lá para cá, não teve nada feito".

O emedebista ainda ressaltou que críticas ao serviço de transporte só devem ser feitas junto a novas propostas de mudança. “Temos que sair desse discurso fácil. É muito simples dizer que o sistema de transporte no Distrito Federal não presta. Mas eu quero que a gente se junte para criar um sistema que seja mais barato, para que se tenha mais conforto. Temos que avançar”, apontou. 

Tarifas e IPVA 

Questionado pelo aumento nas tarifas de transporte ao mesmo tempo em que houve redução do imposto do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), o governador declarou que os dois temas fazem parte dos compromissos assumidos por ele durante a campanha. “Eu tive o compromisso de trazer todos os impostos que foram aumentados pelo ex-governador, então são compromissos que tenho cumprido. Como eu fiz o compromisso de que eu vou melhorar a mobilidade do Distrito Federal, eu também vou cumpri-lo”.

Sanoli

O governador afirmou que o contrato com a empresa Sanoli, que presta serviços de alimentação a hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Distrito Federal, será rescindido. A empresa apresenta dificuldades financeiras para manter pagamentos dos funcionários e, segundo o governador, “não tem mais condição de prosseguir realizando um serviço que é essencial”. O emedebista disse ainda que em 2019 o Governo do Distrito Federal pagou as verbas em dia, e que foi uma decisão difícil, mas necessária.
 
*Estagiária sob supervisão de Vinicius Nader

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade