Publicidade

Correio Braziliense

Dengue: bombeiros fazem vistoria em cinco regiões administrativas

De acordo com a Secretaria de Saúde, o Distrito Federal está com risco iminente de uma epidemia da doença


postado em 25/01/2020 10:18

Neste sábado, 500 militares do Corpo de Bombeiros fazem ações no Guará, na Fercal, em Sobradinho, São Sebastião e Planaltina(foto: Walder Galvão/CB/D.A.Press)
Neste sábado, 500 militares do Corpo de Bombeiros fazem ações no Guará, na Fercal, em Sobradinho, São Sebastião e Planaltina (foto: Walder Galvão/CB/D.A.Press)
Um dia após assinatura do decreto que coloca a saúde pública do Distrito Federal em estado de emergência, militares do Corpo de Bombeiros fazem vistoria em regiões administrativas sensíveis à dengue. Na manhã deste sábado (25/1), 500 militares visitam Guará, Fercal, Sobradinho, São Sebastião e Planaltina. A medida tem objetivo de informar a população e eliminar possíveis focos da doença. 

De acordo com a Secretaria de Saúde, a capital está com risco iminente de uma epidemia de dengue. Por isso, o chefe do Executivo, Ibaneis Rocha (MDB), decidiu assinar decreto que prevê contratação temporária de profissionais, convocação de aprovados em concursos, extensão de cargas horárias de trabalho e compra de insumos sem a abertura de licitação.

O secretário adjunto de Assistência de Saúde da pasta, Ricardo Tavares Mendes, ressalta que as regiões visitadas são cidades com maior foco de possíveis pacientes infectados em 2020. De acordo com ele, o decreto também foi motivado por causa de outras doenças, que também estão em risco de epidemia, como febre amarela, zika e chikungunya. “Por causa do períodos das chuvas, já começamos a ter registros dessas doenças. Os números são preocupantes”, frisa. 

Segundo Mendes, o decreto permite fazer parcerias com os bombeiros, a Defesa Civil e outros órgãos. “Nessa fase que o mosquito começa a prosperar, é muito importante essas ações de conscientização da população, porque muitos dos focos estão dentro das casas”, reforça. 

No ano passado, o Distrito Federal registrou a pior epidemia de dengue da história. Ao todo, foram 47.393 casos e 62 mortes caudadas pela enfermidade. Segundo o secretário adjunto, neste ano, as ações de prevenções já começaram para que esse quadro não se repita. “Comparado com 2019, temos um quadro melhor de segurança para oferecer à população”, diz.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade