Publicidade

Correio Braziliense

Doações de leite materno caem 35% no DF devido pandemia do coronavírus

De acordo com a Secretaria de Saúde as doadoras têm medo de serem contaminadas pelo vírus


postado em 27/03/2020 00:12 / atualizado em 27/03/2020 10:25

Secretaria de Saúde incentiva doações para o banco de leite(foto: Breno Esaki/Agência Saúde)
Secretaria de Saúde incentiva doações para o banco de leite (foto: Breno Esaki/Agência Saúde)
A Secretaria de Saúde divulgou, nesta quinta-feira (26/3,) queda na coleta domiciliar de leite materno de 35%. A pasta relacionou o motivo da diminuição com o medo das brasilienses da pandemia do novo coronavírus. “A situação é preocupante, pois muitos recém-nascidos internados na rede pública de saúde precisam desse alimento para sobreviver”, informou a secretaria. 

A pasta ressaltou que as mães não precisam ter medo da presença de profissionais de saúde nas casas. “Estamos cumprindo todo o rigor na coleta, tanto as recomendações das legislações de Banco de Leite Humano quanto todos os planos de contingências realizadas pelo GDF”, esclareceu a coordenadora dos Bancos de Leite Humano do DF, Miriam Santos.

A coordenadora também fez um apelo para que as doações continuem e com os cuidados necessários de higiene durante a coleta. “Lembrando sempre de proteger as vias respiratórias e de lavar muito bem as mãos”, ressalta Miriam. 

A coleta de leite humano pode ser feita em casa e doado às unidades de Banco de Leite do DF. Para cadastro de doação, ligue para o Disque Saúde 160, opção 4 ou entre no site Amamenta Brasília. A Secretaria de Saúde também tem uma parceira com o Corpo de Bombeiros do DF para recolher o leite nas casas das doadoras.

Dengue 

O combate a dengue também tem sido prejudicado durante a quarentena, de acordo com a Secretaria de Saúde. “Muita gente não está querendo deixar os agentes entrar, mas pedimos que não façam isso, pois este trabalho é muito importante e estamos tomando todos os cuidados necessários relacionados ao coronavírus”, diz o diretor de Vigilância Ambiental, Edgar Rodrigues.

Edgar informa que os profissionais seguem todos os protocolos de segurança, com o uso de  máscaras, além de acesso limitado às áreas externas da casa. “Neste sentido, pedimos a colaboração dos moradores, que aproveitem o fato de estarem em casa e façam essa vistoria dentro de seus imóveis, removendo os depósitos que acumulam água”, destaca o diretor. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade