Publicidade

Correio Braziliense

Aplicativo de doações vai ajudar brasilienses carentes com cestas básicas

A plataforma contribui com ONGs desde 2016 e vai começar a colaborar na luta contra o coronavírus


postado em 01/04/2020 16:33 / atualizado em 01/04/2020 17:59

Aplicativo ajuda a arrecadar doações para ONGs que trabalham em áreas carentes(foto: Ribon/Divulgação)
Aplicativo ajuda a arrecadar doações para ONGs que trabalham em áreas carentes (foto: Ribon/Divulgação)
Em meio à epidemia do coronavírus do Distrito Federal, o engenheiro Rafael Rodeiro, 25 anos, anunciou um projeto solidário por meio do aplicativo Ribon, criado por ele e mais dois amigos ainda na época da graduação na Universidade de Brasília (UnB). A novidade é que o app vai arrecadar doações para compra de cestas básicas para a população mais carente do DF. 

A Ação da Cidadania é a organizadora das entregas das cestas básicas. Eles fazem um trabalho em âmbito nacional e a Ribon é a nova parceira nessa caminhada. “Estamos fazendo entregas semanais pelo Brasil. Na semana passada fizemos para Brasília enviando 10 toneladas, além da região sudeste, e nesta semana contemplamos as regiões do nordeste e sul. Semana que vem, provavelmente, vamos enviar novamente para o DF mais 10 toneladas de alimentos”, explica Kiko Afonso, diretor executivo da Ação da Cidadania.

Criador do aplicativo, Rafael conta que os pais de amigos próximos sempre participaram de fundações e atividades filantrópicas quando era estudante, no entanto, as doações voluntárias não era uma ação recorrente. “Com isso, nós pensamos em criar uma plataforma para esta nova geração, além disso, tornar a doação uma ação natural e sem preconceitos por parte das pessoas,” afirma. 

Para doar, as pessoas precisam baixar o aplicativo gratuito disponível para os sistemas Android e IOS. No app, os doadores podem receber notícias com conteúdos positivos. A intenção é diminuir o fluxo de notícias ruins que acontecem todos os dias e a partir disso,  gerar doações para projetos humanitários sem tirar  dinheiro do bolso.

Para quem baixar o app, diariamente receberá um alerta com boas notícias e ações positivas. Cada notificação lida pelas pessoas gera o total de 100 ribons, que funcionam como se fossem moedas virtuais que podem ser acumuladas e doadas para as ONGs ou projetos disponíveis no aplicativo. Além disso, é possível acessar todo o histórico de doações já realizados na tela de perfil. Vale lembrar que há possibilidade de ganhar ribons quando um amigo baixa o aplicativo pelo seu link de convite.

O aplicativo conta ainda com um pacote de assinaturas, em que as pessoas compram ribons e aumentam o número de moedas  disponíveis aos usuários. Dessa forma, contribuem para crescer os impactos das doações no combate ao coronavírus dentro e fora do Brasil. 

Por causa do cenário do avanço da pandemia do coronavírus no Brasil, inicialmente o aplicativo está disponibilizando 200 ribons para que os usuários doem gratuitamente 200 testes rápidos de Covid-19 para as comunidades no Rio de Janeiro através do projeto #FavelaSemCorona. A ação foi anunciada nas redes sociais da plataforma, nessa segunda-feira (30/3). 

Todas as ONGs disponíveis no app trabalham em regiões de extrema pobreza na África e na Ásia. O #favelasemcorona é a primeira com sede no Brasil, no Rio de Janeiro, a receber ajuda dentro do aplicativo. O primeiro lote com 100 testes adquiridos com esta ação está prevista para 6 de abril.

Estendendo o trabalho de distribuição de testes rápidos, a ação vai ajudar no mapeamento com o “Mapa do Corona”, apontando os casos confirmados em cada bairro do Rio de Janeiro. O mapa também mostra a faixa etária dos infectados e outros dados úteis para embasar tomadas de decisão de quem está trabalhando com essa causa.

Conheça o aplicativo


A renda financeira do aplicativo é gerada por anunciantes. O dinheiro vai para a conta do Ribon e é distribuído para as ONGs de acordo com as doações dos usuários. Do total arrecadado, entre 70% a 80% dos recursos que entra dos patrocinadores vão para as doações dos usuários, e o restante é usado para custear o desenvolvimento do aplicativo e marketing para trazer mais utilizadores do app.

Os comprovantes de doações são publicados no blog do aplicativo e também é enviada notificação com a prestação de contas para todos os usuários. No momento, a parceria se estende para quatro ONGs:  Evidence Action (Água potável), Project Healthy Children – PHC (Nutrição Infantil), Shistossomiasis Control Iniciative – SCI (Verminoses) e Living Goods (Saúde Básica).


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade