Publicidade

Correio Braziliense

Crimes de violência doméstica e feminicídio caem no DF

Levantamento da Secretaria de Segurança Pública comparou primeiro trimestre de 2020 com mesmo período de 2019. Houve redução de duas mortes motivadas por gênero e queda de 228 crimes de violência doméstica


postado em 08/04/2020 10:05 / atualizado em 08/04/2020 10:20

Fátima Lisboa foi uma das cinco vítimas de feminicídio em 2020: suspeito já tinha antecedentes de violência doméstica(foto: Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press)
Fátima Lisboa foi uma das cinco vítimas de feminicídio em 2020: suspeito já tinha antecedentes de violência doméstica (foto: Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press)
Um levantamento divulgado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) mostrou uma queda de crimes contra as mulheres no Distrito Federal. A pasta divulgou nesta quarta-feira (8/4) os números do primeiro trimestre de 2020 de casos de feminicídio e violência doméstica. Houve redução de duas mortes motivadas por gênero e queda de 228 crimes envolvendo a Lei Maria da Penha em relação ao mesmo período de 2019.

Neste ano, entre janeiro e março, cinco mulheres morreram por razões relacionadas à condição de sexo feminino. Nos mesmos três meses do ano passado, foram sete. Os casos de violência doméstica somaram 4.084 ocorrências no primeiro trimestre de 2019, número que caiu para 3.856 em 2020.

A cidade de Samambaia registrou dois crimes de feminicídio neste ano, enquanto Núcleo Bandeirante, Candangolândia e Recanto das Emas registraram um caso, cada. Isso mostra que todos os casos ocorreram em Regiões Administrativas do DF. 
 

Perfil

Entre as vítimas, 60% tinha entre 30 a 49 anos, e 40% entre 18 a 29. O levantamento também analisa a motivação do crime. O ciúme foi citado pelos autores em 80% dos casos, enquanto na outra parcela o motivo ainda está sendo investigado.

Outro dado que chama atenção é que todos os autores de feminicídio já tinham passagem pela polícia. Em mais da metade dos casos, 60%, o crime ainda aconteceu dentro da própria casa da mulher.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade