Cidades

Obras de hospital de campanha no Mané Garrincha estão em fase de conclusão

Prazo para conclusão terminou, mas Executivo local afirma que construção está dentro do planejado. Demora na escolha do projeto vencedor seria um dos motivos para o atraso

Jéssica Eufrásio
postado em 14/04/2020 18:13

Ala do Estádio Nacional Mané Garrincha receberá 200 leitos de retaguarda, para pacientes em recuperação da Covid-19Com previsão para ficar pronto nesta terça-feira (14/4), o hospital de campanha montado no Estádio Nacional Mané Garrincha está em fase de finalização e, por isso, ainda não começou a funcionar. A unidade de retaguarda atenderá pacientes diagnosticados com a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

A empresa Contarpp Engenharia LTDA ficou responsável pelas obras. O valor do contrato, firmado com dispensa de licitação, é de cerca de R$ 5 milhões. A firma também deverá oferecer equipamentos e mão de obra.

O hospital funcionará em uma área de 6 mil metros quadrados e terá 200 leitos para pacientes que tiveram alta das unidades de terapia intensiva (UTI), mas ainda estão em recuperação. Atualmente, só o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) conta com esse tipo de suporte de retaguarda. Na unidade de saúde, o total de vagas chega a 240.

Atualmente, o DF conta com 90 leitos de UTI, dos quais 62 (68%) são destinados a pacientes com a Covid-19.

A medida vai no mesmo caminho das iniciativas adotadas em . No Mané Garrincha, os trabalhos aceleraram no sábado (11/4), quando começaram as instalações de equipamentos, segundo o Executivo local.

"O hospital de campanha está sendo construído dentro do planejamento para o combate ao coronavírus e, como todas as ações, pode sofrer alterações no calendário de execução", informa nota do Palácio do Buriti.

"Houve um processo de dispensa de licitação, com 15 empresas interessadas. Isso demandou tempo para análise de cada proposta e, consequentemente, para a definição da vencedora", completa o texto.

Na semana passada, houve dispensa de licitação para contratação dos itens de suporte necessários para os leitos do hospital de campanha. O processo prevê aluguel de equipamentos, além da contratação de pessoal para gerenciamento técnico, assistência médica multiprofissional ininterrupta e manutenção de aparelhos como computadores e impressoras.

O Governo do Distrito Federal (GDF) não definiu nova data de término das obras.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação