Cidades

Coronavírus: casos em Ceilândia crescem 7 vezes em 15 dias

Em 1º de abril, a região administrativa tinha 3 pessoas infectadas. Hoje, são 21 registros da Covid-19

Walder Galvão
postado em 15/04/2020 19:40
Unidade de Pronto Atendimento em Ceilândia Levantamento da Secretaria de Saúde divulgado nesta quarta-feira (15/4) mostra que o Distrito Federal tem 688 casos confirmados do novo coronavírus e 17 mortes provocadas pela doença. De acordo com o boletim, 30 pessoas estão internadas em unidades de terapia intensiva (UTI). Além disso, algumas cidades chamam atenção pelo crescimento de diagnósticos, como Ceilândia, que passou de 3 para 21 infectados em 15 dias.

[SAIBAMAIS] Em Taguatinga, o número de casos dobrou desde o início do mês. Em 1; de abril, havia sete pessoas diagnosticadas com a doença na cidade. Nesta terça (14/4), a Secretaria de Saúde contabilizava 19 casos. Apesar do crescimento, o Plano Piloto, com 177 infectados, lidera o ranking dos locais com mais registros da Covid-19.

Em segundo lugar está Águas Claras, com 71 casos. Em seguida, vem o Lago Sul, com 62 diagnósticos. Durante coletiva à imprensa desta quarta-feira (15/4), o subsecretário de Vigilância à Saúde do DF, Eduardo Hage, demonstrou preocupação com o aumento de casos em Ceilândia e defendeu que o isolamento social deve ser obedecido pelos moradores.

Cai taxa de isolamento


Nesta quarta, pesquisa de uma empresa de softwares mostrou que a taxa de isolamento social no DF caiu 6,6 pontos percentuais em três dias. De acordo com o estudo, o índice passou de 62,5% para 55,9%. Apesar da queda, a capital voltou a liderar o ranking das unidades da Federação que mais respeitam as restrições.

Apesar do avanço da doença e da queda da taxa de isolamento, há idades no DF não tem registros confirmados de coronavírus. Por exemplo, Fercal, Brazlândia, Itapoã e Candangolândia não tem pacientes diagnosticados com a Covid-19.

Do total de diagnosticados na capital, 413 são homens e 275 mulheres. Além disso, a maioria dos infectados (192), tem idade entre 30 e 39 anos. Em seguida, está o grupo com idade entre 40 e 49 anos, totalizando 158 registros da enfermidade.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação