Cidades

PCDF busca por homem que matou ex-companheira e padrasto dela a facadas

Francisco Hebert Aragão Moura, 25 anos, fugiu depois de cometer os crimes e continua foragido

Matheus Ferrari
postado em 16/04/2020 12:02
Denúncias podem ser feitas pelo número 197A Polícia Civil do Distrito Federal segue em busca do motorista de aplicativo Francisco Hebert Aragão Moura, 25 anos. Ele matou a ex- companheira, Silmara de Sousa da Silva, 22 anos, na noite da última terça-feira (14/4), com diversas facadas. Ao tentar impedir que a enteada fosse morta, o padrasto de Silmara, Francisco Márcio Gonçalves de Sousa, 41 anos, também foi assassinado. O motorista fugiu depois de cometer os crimes e, até a publicação desta matéria, não havia sido preso.

Agentes da 6; Delegacia de Polícia (Paranoá) investigam o caso. Segundo a delegada Jane Klébia do Nascimento, a Polícia Civil busca informações sobre a vida de Francisco Hebert, além de também estar fazendo um mapeamento de hábitos, amigos e parentes do motorista. Segundo a delegada, o rapaz não possui antecedentes criminais. No entanto, a investigação aponta que ele costumava agredir Silmara com frequência. Mesmo assim, ela nunca o denunciou.

Entenda o caso

A estudante de Farmácia Silmara de Sousa da Silva foi assassinada a facadas pelo ex-companheiro Francisco Hebert Aragão Moura, na terça-feira (14/4). O crime ocorreu no condomínio Del Lago 2, na QR 314 do Itapoã.

Amiga de infância da vítima, Amanda de Souza Farias, 19 anos, estava com Silmara no momento em que ela foi morta. Por volta de 17h, Silmara enviou uma mensagem de celular à amiga, dizendo que gostaria de separar-se de Francisco. A atitude seria consequência de uma agressão sofrida no sábado (11/4). Na ocasião, o rapaz teria dado um murro na então companheira. Silmara saiu de casa no mesmo dia e, desde então, estava morando na casa de familiares, no Itapoã.

Na terça-feira (14/4), a jovem pediu a Amanda e ao padrasto, Francisco Márcio, que a acompanhassem até a casa em que morava com Francisco Hebert, para que ela pudesse retirar suas coisas do imóvel. Segundo Amanda, por volta de 19h, os três chegaram à residência do casal, na QR 314. Francisco Hebert estava sentado no sofá da sala, tomando cerveja. Na chegada, o rapaz não apresentou nenhum tipo de agressividade. No entanto, quando Silmara começou a retirar suas coisas do imóvel, ele começou a discutir por causa da divisão dos pertences.

O ex-companheiro tentou impedir que Silmara retirasse alguns copos da casa. Em meio às agressões verbais, Francisco deu um murro na televisão que era de Silmara. Ela, então, questionou a atitude. Percebendo a agressividade do rapaz, Amanda saiu da casa e ligou para a polícia.

Francisco Márcio, padrasto da vítima, tentou acalmar a situação. Entretanto, ao perceber que os policiais estavam sendo acionados, Francisco Hebert puxou uma faca desferiu golpes contra Silmara. Ela foi atingida inicialmente na mão, no abdômen e no pescoço, segundo a testemunha. Mesmo com Silmara caída, Francisco Hebert teria continuado a golpeá-la. Ao tentar impedir, Francisco Márcio também foi atingido e morreu no local. Com medo de também ser alvo de Francisco Hebert, Amanda fugiu para a casa de uma vizinha. Próximo ao portão da casa, Hebert jogou no chão a faca usada no crime e, em seguida, fugiu em seu carro, um Volkswagen Voyage branco, placa PAV-9994/DF.

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados. Silmara foi encaminhada ao Hospital Regional do Paranoá e, momentos depois, devido à gravidade das lesões, foi removida para o Hospital de Base. Entretanto, ela não resistiu aos ferimentos e morreu, na madrugada de quarta-feira (15/4).

Quem tiver informações sobre o possível paradeiro de Francisco Hebert Aragão Moura, pode entrar em contato com a Polícia Civil por meio do número 197. A denúncia é anônima.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação