Cidades

Cartilha ajuda a prevenir acidentes domésticos em tempos de isolamento

Lançado nesta segunda-feira (25), o material da secretaria de Justiça explora os cuidados que os pais ou responsáveis devem ter para prevenir acidentes com crianças e adolescentes

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 25/05/2020 18:00
Aumento no uso de álcool em gel também provocou aumento no número de acidentes com o produtoA sensação de segurança que as quatro paredes do lar nos proporciona pode ser traiçoeira, pois dentro de todas as casas existe uma série de instrumentos que são potencialmente perigosos e até letais. E agora, com as famílias passando mais tempo em casa por causa da pandemia do coronavírus, vale ficar atento para os perigos representados pelos acidentes domésticos.

Pensando nesses riscos ocultos, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), em parceria com a Sociedade Brasileira de Queimaduras e a ONG Criança Segura Safe Kids Brasil, lançou, nesta segunda-feira (25), uma cartilha educativa de prevenção aos acidentes domésticos. O material possui 30 páginas e aborda as mais variadas ocorrências, ilustradas com a turma do Sejuquinha, mascote da Sejus.

Aprendizado

[SAIBAMAIS]O capítulo 1 elucida como os afogamentos podem ser evitados, assim como a estatística nacional de ocorrências do gênero. No segundo capítulo, o tema intoxicação ensina dicas de prevenção ao envenenamento de crianças. O terceiro fala sobre as quedas, que são hoje o maior motivo de acidentes domésticos. No capítulo 4, a Sejus explica como evitar incêndios e como proceder em caso de uma ocorrência com fogo. O quinto ensina o que fazer em casos de sufocação e engasgamento. O sexto e o sétimo abordam, sucessivamente, a mordida de animais e lesões causadas por armas de fogo, quando deixadas ao alcance de crianças.

O álcool em gel ganhou o último capítulo da cartilha, pois foi observado o aumento de ocorrências de acidentes envolvendo o produto, dado o maior uso na higienização das mãos e superfícies em combate à covid-19. Para finalizar, o material ensina como pedir socorro e atendimento de emergência por meio do número do Serviço Médico de Urgência (Samu), Conselho Tutelar ou Corpo de Bombeiros Militar.


Números


Segundo o DataSus, departamento de dados do Sistema Único de Saúde (SUS), anualmente, 111 mil crianças são internadas no Brasil em decorrência de acidentes ou lesões não intencionais. Destas, 3,6 mil não sobrevivem, sendo o principal ambiente das catástrofes o lar dessas crianças e adolescentes entre 1 e 14 anos.

No último ano, o DataSus contabiliza 308 internações infantis diariamente por causa de acidentes em casa. A ONG Criança Segura, participante do projeto, está presente em 30 países e suas ações são responsáveis pela redução de mais de 40% nas mortes desta faixa etária causadas por este tipo de incidente.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação