Cidades

''Estamos gastando tempo com a cloroquina'', diz epidemiologista da UnB

Para Jonas Brant, discussão sobre medicamento gasta tempo e energia que deveriam ser dedicados a discutir medidas mais eficazes

Sarah Paes*
postado em 26/05/2020 12:51
 (foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)

Epidemiologista e professor do Departamento de Saúde Coletiva da UnB Jonas BrantEm meio às discussões sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, o epidemiologista e professor do departamento de Saúde Coletiva da Universidade de Brasília (UnB) Jonas Brant, afirmou em entrevista ao programa CB.Poder, parceria da TV Brasília e do Correio, que o uso da medicação era pra ser algo temporário e que fez parte de uma estratégia de testes contra a doença. ;Como a gente não tem uma medicação efetiva para a covid, a estratégia foi, bom, vamos buscar todas as drogas que nós já conhecemos, já conhecemos os efeitos colaterais dela e vamos testar e ver se ela é efetiva com a covid;, disse o professor.

No entanto, segundo ele, o que aconteceu foi que, em vez de continuar os testes com vários outros remédios, o tratamento parou com o primeiro. ;A gente encostou na primeira delas que foi a hidroxicloroquina, que já tem vários artigos mostrando que ela não tem contribuição, então vamos passar pras próximas. Nós estamos parados na primeira ainda. A gente tem que testar dezenas delas até poder encontrar uma que possa contribuir no tratamento;, afirmou.

O tempo gasto nas discussões acerca do uso de um medicamento que já mostrou não ser eficaz é criticado pelo epidemiologista. ;Nós estamos gastando tempo e energia que deveria ser dedicada a discutir o que o governo está fazendo de medida social, o que o governo está fazendo pra fortalecer a vigilância sanitária, a vigilância epidemiológica e a gente está gastando discutindo a droga que já se provou que não tem eficácia. Então, vamos buscar uma outra droga e vamos tentar continuar nessa busca por um tratamento efetivo que possa salvar a vida das pessoas que estão na UTI nesse momento;, defendeu.

Confira a íntegra da entrevista:

[VIDEO1]

*Estagiária sob supervisão de Fernando Jordão

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação