Cidades

Covid-19: governo estuda cronograma de reabertura para parques e academias

O Sindicato das Academias do DF (Sindac-DF) tem uma reunião com a Casa Civil do DF na quinta-feira (26/5) para avaliar a volta das atividades

Caroline Cintra
postado em 26/05/2020 15:51
De acordo com a presidente do Sindicato das Academias do DF (Sindac-DF), Thaís Yelene, a categoria está conversando com o governo para que as atividades sejam retomadas o quanto antesA Secretaria de Esporte e Lazer do Distrito Federal estuda, junto ao Comitê Científico Operacional de Estratégias de Enfrentamento da Covid-19, um cronograma para a reabertura de parques e academias no DF. A pasta assegura que, com a retomada das atividades, serão respeitadas as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), como o distanciamento entre os usuários, a higienização constante dos equipamentos e o limite de alunos por unidade para garantir a segurança e a saúde da população.

De acordo com a presidente do Sindicato das Academias do DF (Sindac-DF), Thaís Yeleni, a categoria está conversando com o governo para que as atividades sejam retomadas o quanto antes. ;;Ainda não há previsão. O que enxergamos é uma população cada vez mais sedentária, a situação está insustentável. Querem voltar bares e restaurantes antes, mas as academias são essenciais, e provamos isso com a ciência. Ela não desvendou o coronavírus, mas sabemos que alguns agravantes da doença são comorbidades. E, isso, o nosso segmento trata;, afirma.

Thaís ressalta que a categoria está preparada para voltar às atividades de forma segura. ;Conseguimos controlar a situação, mais do que nos transportes públicos, metrôs e supermercados, que não têm como controlar. A secretária (do Esporte) Celina Leão nos atendeu e entendeu isso, por ser uma pessoa ativa. E a gente precisa desse apoio agora;, diz.

A Sindac-DF tem uma reunião marcada com a Casa Civil do DF, às 11h, de quarta-feira (27/5) e as expectativas são boas. ;A gente espera que tenha boas notícias. Muita gente do setor perdeu emprego, os que estão com contrato suspensos podem acabar sendo demitidos também. Não queremos passar por isso;, completa Thaís.

Atividade essencial

A atividade exercida por profissionais de educação física passou a ser essencial na área de atendimento à saúde. A determinação foi publicada no Decreto n; 40.824, em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) da última segunda-feira (25/5). Até então, a atividade estava incluída apenas na área de desporto e lazer.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação