Cidades

Festa das Cavalhadas é cancelada para evitar aglomerações

Com mais de 200 anos de tradição, festividade tradicional de Pirenópolis não ocorrerá, em virtude da pandemia de coronavírus

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 27/05/2020 12:43

As Cavalhadas fazem parte das comemorações da Festa do Divino e encerram as celebrações no domingo de Pentecostes. Em 2020, no entanto, as ruas seguirão vazias para evitar aglomerações e possíveis contaminações pelo novo coronavírusCom 202 anos de tradição, a festa das Cavalhadas, em Pirenópolis (GO), não será celebrada pelas ruas da cidade, no próximo domingo (31/5). A festividade foi cancelada, em virtude da pandemia de covid-19. Com isso, reis, cavaleiros e mascarados não percorrerão o município goiano, a cerca de 140km de Brasília.

As Cavalhadas fazem parte das comemorações da Festa do Divino e encerram as celebrações no domingo de Pentecostes. Em 2020, no entanto, as ruas seguirão vazias para evitar aglomerações e possíveis contaminações pelo novo coronavírus. Com isso, milhares de pessoas que costumam acompanhar os festejos não asssitirão à tradicional batalha entre mouros e cristãos.
[SAIBAMAIS]Guia turístico, Cristiano da Costa, 47 anos, participa das festas desde criança e confecciona máscaras e roupas dos mascarados, ícones das Cavalhadas. Para ele, 2020 ficará marcado pela ausência das pessoas nas ruas. ;Estou muito sentido de não ter a festa. Toda a cidade, eu, meus amigos, estamos frustrados. Já vínhamos planejando tudo. É um sentimento muito estranho. A gente já fica relembrando como é vivenciar a festa e, ao mesmo tempo, já sente a situação de não estar acontecendo nada;, lamenta.

Segundo Cristiano, no entanto, a comunidade local entende que o momento exige cautela. ;As pessoas que amam a festa estão bem chateadas, mas entendem porque é uma festa de muita aglomeração. Nós aqui temos um população idosa muito grande. As pessoas sabem que é necessário não ter;, pontua.

Festa do Divino

As celebrações da Festa do Divino Espírito Santo, encerrada pela batalha entre mouros e cristãos, em Pirenópolis, também não ocorrerão, em função do isolamento social. Entretanto, as novenas estão sendo realizadas e transmitidas pelas redes sociais das igrejas locais. Como não haverá folia, alguns cavaleiros organizaram-se para levar a bandeira do Divino às casas dos moradores.

Batalha
Há mais de 200 anos, o rito das Cavalhadas encena a Batalha de Carlos Magno e os 12 pares da França, conflito que tornou-se um símbolo da resistência e avanços da religião cristã na luta por terras e novos fiéis.

Os rituais começam uma semana antes da batalha, do domingo de Pentecostes, quando as duas tropas percorrem a cidade visitando as casas dos moradores, seguidas por uma banda de música, para chamarem os cavaleiros para os ensaios.

Comandados pelos respectivos reis, no domingo, as duas tropas se enfrentam, em um campo de batalha. O evento reúne milhares de pessoas da cidade, da zona rural e de cidades vizinhas à Pirenópolis.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação