Publicidade

Correio Braziliense

Like U Hotel e Kubitschek Plaza são contratados para receber policiais

Por meio do Programa Acolher, 360 profissionais de execução penal ficarão hospedados nos dois hotéis como medida de combate à disseminação do coronavírus


postado em 01/06/2020 15:34 / atualizado em 01/06/2020 16:25

Essa é a segunda fase do programa iniciado com os profissionais da Saúde(foto: Luis Tajes/Setur-DF)
Essa é a segunda fase do programa iniciado com os profissionais da Saúde (foto: Luis Tajes/Setur-DF)
A Secretaria de Turismo (Setur-DF), junto à Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF), oficializou a contratação dos hotéis Like U Hotel e Kubitschek Plaza para a segunda fase do Programa Acolher, que vai hospedar 360 profissionais de execução penal como medida de combate à disseminação do coronavírus. A solenidade ocorreu na manhã desta segunda-feira (1º/6).

Essa é a segunda fase do programa, que iniciou com os profissionais da Saúde e, agora, se estende aos servidores do sistema penitenciário do DF. Na solenidade, o secretário de Segurança Pública Anderson Torres, disse que uma das prioridades do governo é cuidar da população e dos profissionais. “Vivemos um momento difícil e delicado, desde o início trabalhamos para que os efeitos fossem minimizados aqui. Sabíamos que não poderíamos sair da linha de frente. Temos feito nosso dever de casa”, afirmou.
 
O secretário lamentou a morte decorrente do coronavírus do policial penal Francisco Pires de Souza, 45 anos. Ele estava internado desde 28 de abril no Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e não tinha comorbidades. O servidor, morador de Santa Maria, morreu em 17 de maio, e era lotado também na PDF I, desde 2010. “Foi uma perda. Mas é uma pandemia que não tinha como se prevenir. Perdemos um irmão”, afirmou o Anderson. 

O intuito da pasta, agora, é estender o programa para os policiais civis da Divisão de Controle e Custódia de Presos (DCCP). “São os primeiros a ter contato com os presos. Vamos ver como podemos fazer isso”, completou. 

A secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça, destacou que o GDF saiu na frente de todo o Brasil no combate ao coronavírus e que, hoje, a cidade se destaca pelo índice de transparência e menor índice de mortalidade do país, se tornando um destino seguro.
 
“Tenho Certeza que os policiais penais encontrarão uma segunda casa nesse projeto. Vamos cuidar de quem cuida de nós. Serão acolhidos e terão à disposição todas as refeições”, ressaltou. “São 360 apartamentos colocados à disposição para atender essas pessoas. Estamos aqui para acompanhar. É o mínimo que podemos fazer por esses profissionais”, completou a secretária. 

Tranquilidade 

O projeto era uma reivindicação da categoria, como ressaltou o presidente do Sindicato dos Policiais Penais  do DF (Sindpen-DF), Paulo Rogério, na solenidade, transmitida ao vivo nas redes sociais da Setur-DF. “Para nós, ela chega como uma medida de enfrentamento à covid-19, uma vez que nós temos centenas de policiais e muitos em grupo de risco. Essa medida chega para dar tranquilidade, do ponto de vista psicológico”, disse.

Paulo destacou que muitos profissionais estavam com o psicológico abalado porque buscavam uma forma de proteção aos familiares. “A medida vem para trazer essa proteção, uma vez que cumprirão sua jornada, podendo sair do local de trabalho e se hospedar de uma forma segura, sabendo que os familiares estão seguros”, afirma o presidente do Sindpen-DF. 
 
Hoje, no sistema prisional do DF há mais de 16 mil detentos. Desses, cerca de 700 foram contaminados com o coronavírus. Policiais penais somam mais de 230. “Hoje, graças a Deus e pelo trabalho feito, estamos conseguindo manter um padrão e dizer que temos mais recuperados que infectados. Para o servidor, essa medida é de muita valia e veio em um momento oportuno, porque muitos têm pessoas em casa do grupo de risco. O servidor ganhará mais”, disse o secretário da Administração Penitenciária do DF, Aval Cardoso.  

Oportunidade 

Para o representante do Like U Hotel, Fábio Galvão, essa é uma oportunidade também para o setor hoteleiro. “É com satisfação que recebemos os policiais penais do DF e esperamos poder retribuir de forma a levar o conceito do hotel, que é trazer o conforto do lar, o aconchego de casa. Ficamos felizes em contribuir com essa ação”, disse.

O diretor-geral de hotelaria das Organizações Paulo Octávio, Helder Carneiro, afirmou que a classe é uma das que estão mais sujeitas à epidemia. “É uma iniciativa boa, porque a sociedade precisa que os policiais penais estejam saudáveis para manter a ordem e a paz”.





Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade